nov 24

Número de agtechs cresce 8% no Brasil e chega a 1.703 em 2022

Pesquisa da Embrapa também revela número de mulheres em empresas.

Ao lado das consultorias SP Ventures e Homo Ludens, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) divulgou hoje (23) os resultados da terceira edição do mapeamento “Radar Agtech Brasil”, que mostra um panorama das startups do setor agropecuário que trabalham com tecnologia. O estudo revelou que o Brasil possui atualmente 1.703 agtechs, 8% a mais na comparação com 2021, quando foram contabilizadas 1.574 agtechs em atividade no país.

 

“A iniciativa permite gerar subsídios para as ações de fomento e incentivo ao empreendedorismo e inovação, além de estimular parcerias entre startups, com a Embrapa, com o setor produtivo agropecuário e os diversos componentes do ecossistema de inovação, gerando mais valor para o setor agrícola e a sociedade”, afirma Tiago Ferreira, diretor de negócios da Embrapa.

Mulheres nas agtechs
Um dos principais destaques da edição 2022 é um inédito levantamento de gênero nas startups. A pesquisa identificou que menos de 30% delas estão sob o comando de mulheres. Do total, 520 têm, pelo menos, uma sócia em sua estrutura de comando.

“Enquanto o número de agtechs tende a estacionar ou diminuir, em decorrência de fusões, aquisições e consolidações, as agtechs fundadas por mulheres tendem a aumentar”, afirma Fabiane Astolpho, consultora da Homo Ludens e co-fundadora da Fruto Agrointeligência, consultoria de inovação com sede em Vinhedo (SP).

Fabiane, mestre em tecnologia para agricultura tropical formada pelo IAC (Instituto Agronômico de Campinas), fundou a agtech em 2018. Ela diz que é preciso mais iniciativas de apoio às mulheres, especialmente em frentes de investimento e financiamento.

Segundo o Radar Agtech, a presença feminina acontece, principalmente, nos empreendimentos que atuam no chamado “depois da fazenda”, em setores como alimentos inovadores, rastreabilidade e mercearia. Nesse grupo há 260 startups lideradas por mulheres. O número cai para 81 agtechs no “antes da fazenda”, em setores como crédito, insumos, marketplace, entre outros, e para 175 nas startups “dentro da fazenda”, que atuam com drones, telemetria e outros.

Onde estão as agtechs
As agtechs estão concentradas no Sudeste, com 61,4%. Pelo segundo ano consecutivo, São Paulo se mantém como o estado com maior número. São cerca de 800 startups de tecnologia voltadas ao agro que nasceram nesta região. Em seguida estão Minas Gerais, com 154 startups, e Rio de Janeiro, com 69 startups. Os únicos estados que ainda não possuem agtechs registrada no balanço são Acre, Alagoas e Rondônia.

“O ecossistema de inovação agrícola nacional é cada vez mais complexo e abrangente, impulsionado pela participação significativa de startups e investidores”, afirma Celso Luiz Moretti, presidente da Embrapa. “A agricultura brasileira é movida à ciência e com ela enfrenta desafios como incorporação de tecnologias digitais, mudanças climáticas e novas soluções demandas por consumidores cada vez mais exigentes.”

Divisão de agtechs por setor do agronegócio

Antes da fazenda (antes da porteira)
(número de startups e setor de atuação)

61: Crédito, permuta, seguro, créditos de carbono e análise fiduciária
53: Fertilizantes, inoculantes e nutrição vegetal
36: Análise laboratorial
27: Nutrição e saúde animal
26: Sementes, mudas e genômica vegetal
21: Genômica e reprodução animal
18: Marketplace de insumos para o agronegócio

Dentro da fazenda
(número de startups e setor de atuação)

173: Sistema de gestão de propriedade rural
122: Plataforma integradora de sistemas, soluções e dados
78: Drones, máquinas e equipamentos
76: Sensoriamento remoto, diagnóstico e monitoramento por imagens
51: Conteúdo, educação, mídia social
42: Telemetria e automação
40: Internet das coisas para o Agro
38: Meteorologia, irrigação e gestão de água
36: Controle biológico e manejo integrado de pragas
22: Gestão de resíduos agrícolas
15: Economia compartilhada
9: Conectividade e telecomunicações
3: Apicultura e polinização

Fora da fazenda (pós-porteira)
(número de startup e setor de atuação)

281 : Alimentos inovadores e novas tendências alimentares
124: Marketplaces e plataformas de negociação e venda de produtos agropecuários
73: Armazenamento, infraestrutura e logística
48: Mercearia online
40: Sistema autônomo de gerenciamento de lojas e serviços de alimentação
39: Restaurantes online e kit de refeições
37: Biodiversidade e sustentabilidade
26: Bioenergia e energia renovável
25: Indústria e processamento de alimentos 4.0
24: Sistemas de embalagem, meio ambiente e reciclagem
21: Plantio urbano
13: Segurança e rastreabilidade de alimentos
5: Cozinha na nuvem e cozinha fantasma

FONTE: https://forbes.com.br/forbesagro/2022/11/numero-de-agtechs-brasileiras-cresce-8-e-chega-a-1-703-startups-em-2022/