dez 01

Novo Radar FintechLab mostra crescimento de 36% no número de fintechs do Brasil

 

A mais recente edição do Radar FintechLab divulgada hoje (24) registra a existência de 332 fintechs atuantes no Brasil no mês de novembro. O número representa um crescimento de aproximadamente 36% em relação às 244 iniciativas identificadas na última edição do levantamento realizada em fevereiro deste ano.

O co-fundador do FintechLab, Marcelo Bradaschia avalia que o estudo reforça o dinamismo do setor. “A grande quantidade de empreendimentos surgidos em um período tão curto demonstra a fartura de oportunidades que o setor financeiro oferece para empreender e inovar “, diz.

Ele informa que a soma do volume de fintechs com as iniciativas consideradas de eficiência financeira resultou num número 40% superior ao do estudo anterior, passando de 264 para 369. Bradaschia explica que são consideradas empresas de eficiência financeira as novas plataformas de bureau de informações, as soluções de prevenção à fraude, biometria e analytics, além de outras tecnologias e serviços que apoiam e trazem maior agilidade e praticidade ao mercado financeiro.

 

O também co-fundador do FintechLab, Fábio Gonsalez chama a atenção para o segmento de empréstimos, que alcançou um dos crescimentos mais significativos entre todas as modalidades. “Foram mapeadas 25 novas iniciativas deste tipo de atuação que passou a representar 17% do total. Na edição do início do ano o percentual era de 13%”, disse.

Gonsalez comenta que outro forte movimento apontado pelo Radar FintechLab foi o aumento da intensidade das iniciativas de integração e cooperação entre as grandes empresas do setor financeiro, as fintechs e as startups. Neste sentido os maiores exemplos foram a ampliação do Cubo, do Itaú, o lançamento do Inovabra Habitat, e a continuidade de programas de inovação como o da B3, VISA e Porto Seguro / Oxigênio.

Por outro lado, segundo Bradaschia, o mapeamento também revelou o início de um processo de seleção natural no segmento fintech. “Começamos a ver o movimento de encerramento de algumas iniciativas. Neste período constatamos que 18 empresas não estão mais atuantes, sendo a maior parte delas do setor de pagamentos”, disse.

FONTE: Fintechlab