set 23

Novo índice de fintechs, da Sling Hub, registra queda de 25% em um ano

O novo Startup Index Brasil, que acaba de ser lançado pela Sling Hub, registrou em agosto 191.65 pontos – o menor patamar desde julho de 2020, quando marcou apenas 147.2 pontos. Na comparação ano contra ano, a queda foi de 69%. Em relação a julho, o índice teve um recuo de 28%, mostra a plataforma.

No caso das fintechs, o recuo em 12 meses foi menor, de 25%, levando o índice a 66.7 pontos. Já na comparação com julho, a queda registrada foi de 11%.

O resultado reflete uma combinação de rodadas de investimento cada vez menores e uma redução no número de novas instituições investidoras apostando nas startups do país nos últimos 12 meses.

Startup Index foi desenvolvido em parceria com a Emerging VC Fellows, rede de analistas de Venture Capital da América Latina, e mede sete variáveis: volume total captado, número de aquisições (divididas entre startups adquiridas cujo valor captado até o momento da aquisição era menor que US$ 10 milhões e maior que US$ 10 milhões), número de IPOs, número de novos unicórnios e atividade de novos investidores no país. Cada uma delas tem pesos diferentes. Foram compilados mais de 3,7 milhões de dados desde 2015.

“Da mesma forma que existe um índice que reflete a evolução de companhias abertas em diversas bolsas do mundo, a gente entendeu que existia a necessidade de um índice para refletir de maneira mais precisa a evolução do ecossistema de startups. Esperamos que o Startup Index Brasil cumpra este papel”, diz João Ventura, CEO da Sling Hub, em nota.

Termômetro

Em agosto, as fintechs captaram US$ 137 milhões – menos da metade do que um ano antes – em 11 rodadas. Já as startups brasileiras como um todo levantaram US$ 436 milhões, distribuídos em 46 rodadas. O resultado é exatamente US$ 1 bilhão a menos que o levantado em agosto do ano passado.

Entre as rodadas de fintechs anunciadas no mês passado, estão Pagaleve (US$ 25 milhões), Klavi (US$ 15 milhões), NG.Cash (US$ 10 milhões) e Investo (US$ 7,8 milhões) — você leu sobre todas aqui, claro.

Além do índice geral e do setorial de fintechs, a Sling Hub calcula outros três índices setoriais: agritechs, retailtechs e healtechs. “Este é só o começo, temos planos de expandir o Índice para outros setores e também estados, ajudando analistas a terem uma visão regional do ecossistema. Também está nos nossos planos criar uma versão Latam, incluindo os sete países que compõem a base da Sling Hub“, antecipa João.

Segundo Maria Miranda, COO da Sling Hub e responsável pela equipe de dados, a empresa captura mais de 100 mil dados por semana, com uma média de 120 novas startups cadastradas por mês, e a criação do Startup Index Brasil é um reflexo deste trabalho.

“Nossa ideia sempre foi facilitar a visualização geral do mercado de startups brasileiro. Métricas individuais como número de rodadas e volume de captações, apesar de importantes, não dão conta da complexidade do ecossistema”, diz ela, no texto.

Sling Hub é uma plataforma de inteligência de dados sobre o ecossistema de startups da América Latina com mais de 4 milhões de dados do Brasil, México, Chile, Colômbia, Argentina, Peru e Uruguai, e quase 25 mil startups cadastradas.

FONTE: https://finsiders.com.br/2022/09/22/novo-indice-de-fintechs-da-sling-hub-registra-queda-de-25-em-um-ano/