jul 17

Nova tecnologia pode bloquear totalmente a comunicação de carcerários

Sem sobra de dúvidas, o uso da tecnologia a favor do crime não é interessante. Infelizmente, as mentes por trás dos esquemas criminais conseguem burlar as regras de controle carcerário e alguns indivíduos acabam tendo acesso a dispositivos de contato como os smartphones. Uma nova tecnologia que vem sendo testada nos EUA, no entanto, promete bloquear os sinais de uma área específica e delimitada, trazendo soluções no combate ao crime organizado.

 A Administração Americana de Telecomunicações e Informação supervisionou, durante cinco dias de testes, a “microinterceptação” de sinais em um presídio estadual na cidade de Columbia, Carolina do Sul, na semana passada. Apesar de o órgão não ter divulgado os resultados desse teste, há rumores de que ele tenha sido concluído de uma maneira satisfatória, já que o governo dos EUA vinha testando a tecnologia desde junho de 2018.

Segundo especialistas, as pessoas que vivem perto de presídios poderão ficar livres das interferências geradas pelos atuais bloqueadores caso a microinterceptação de sinais seja utilizada de forma efetiva. De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) paulista, só no estado de São Paulo foram encontrados mais de 10 mil aparelhos celulares nos presídios em 2018.

Na época, o experimento foi realizado em um presídio federal em Cumberland, no estado de Maryland, e foi constatado que houve o bloqueio total do sinal dentro do local especificado, de forma que os aparelhos voltaram a funcionar a seis metros do portão da penitenciária.

FONTE: UOL