nov 22

Meu nome é GAL: Gol lança um robô para atender passageiros

Novidade está operando no aeroporto de Guarulhos e o objetivo é oferecer aos passageiros uma experiência simples e inteligente

CONHEÇA A GAL, ROBÔ DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DA GOL (FOTO: DIVULGAÇÃO/GOL)

Gol lançou  em fase de teste por 30 dias — a primeira robô da empresa. GAL tem inteligência artificial e vai auxiliar os passageiros no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

A empresa diz que os funcionários não serão demitidos ou prejudicados com a chegada da robô. “A GAL nos ajudará a interagir com os nossos clientes de uma maneira diferente e inovadora. Ela será uma nova opção de contato, mas não substituirá em nenhum momento as atividades de um dos nossos colaboradores. O nosso objetivo é sempre promover uma experiência simples e inteligente”, diz José Luiz Belixior, diretor de aeroportos da Gol.

Com 1,40 metro de altura, a robô tem braços. O rosto é um tablet.

Durante a fase inicial de teste, ela deve responder perguntas e guiar os passageiros em 10 diferentes pontos do aeroporto. “Vai ser fundamental principalmente para os passageiros que não estão acostumados a viajar e ficam tensos”, afirma Flávia Segura, gerente de TI da Gol.

Gal e equipe da Gol (Foto: Gal e equipe da Gol )

Neste primeiro momento, a robô está programada para responder cinquenta tipos de perguntas: como antecipar o voo, onde realizar o check-in, despachar a bagagem, marcar assentos e outras. Ela também é capaz de responder perguntas pessoais, como por exemplo: Você namora? Você mora aqui? Qual a sua cor predileta? Posso tirar uma selfie? “É uma experiência leve e descontraída para o passageiro”, diz Flávia.

No primeiro dia em que atendeu os clientes sozinha — sem o auxílio de funcionários da Gol —, GAL fez cerca de mil interações com os passageiros e a assertividade de resposta foi de 80%. “Todos os dias extraímos um relatório, checamos as perguntas que a GAL não conseguiu responder e adaptamos”, afirma Flávia. A pergunta mais recorrente foi se ela poderia tirar uma foto.

A tecnologia foi desenvolvida pela empresa chinesa Ubtech e a startup brasileira Pluginbot. Se o teste for positivo, a expectativa é colocá-la em outros aeroportos: Congonhas, Santos Dumont, Galeão e Brasília. O idioma da GAL é português, mas se o teste der certo, a robô também vai aprender espanhol e inglês.

FONTE: ÉPOCA