out 18

Metaverso: quando o mundo onde “tudo será possível” vai se tornar realidade?

Sabe o que é metaverso? Visionários dizem que nesse novo universo tudo será possível e garantem que ele vai não apenas espelhar o mundo real em toda a sua complexidade tridimensional, mas também estendê-lo para nos permitir ser e fazer o que antes só poderia ser imaginado.

“O metaverso será a maior revolução em plataformas de computação que o mundo já viu – maior do que a revolução móvel, maior do que a revolução da web”, promete o vice-presidente sênior e gerente geral de criação da San Unity Software Inc., Marc Whitten.

A Unity está construindo ferramentas e serviços para permitir que as pessoas criem conteúdo no metaverso. Outras grandes empresas de tecnologia estão desenvolvendo produtos de hardware e software para o esse novo universo, ou seus próprios mundos virtuais dentro dele. Alguns exemplos são a Nvidia, Roblox, Epic Games, Microsoft e Facebook.

“Além de ser a próxima geração da Internet, o metaverso também será o próximo capítulo para nós como empresa”, disse o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, durante uma teleconferência com analistas em julho. “Nos próximos anos, espero que as pessoas façam a transição de nos ver principalmente como uma empresa de mídia social para nos ver como uma empresa metaversa”, completou.

Entrar neste vasto novo reino pode significar o uso de dispositivos comuns, como smartphones e computadores. Mas os executivos de tecnologia dizem que os óculos de realidade virtual – semelhantes, mas menos volumosos e mais confortáveis ​​do que os que estão no mercado hoje – permitirão uma maior imersão. Provavelmente também veremos uma seleção mais ampla de equipamentos táteis que permitem aos usuários sentir objetos virtuais, bem como hardware como esteiras omnidirecionais que podem simular corrida, escalada e outras atividades físicas.

óculos realidade virtual simulador
Metaverso promete ser um mundo onde tudo será possível. Imagem: franz12 – Shutterstock

Quando o metaverso será uma realidade?

Segundo os executivos de tecnologia, para o metaverso decolar, vamos precisar de atualizações para os sistemas de computador e tecnologia existentes. Isso inclui mais poder de computação bruto e gráficos de alta qualidade, bem como uma estrutura universal que permitirá aos usuários mover-se sem problemas de uma parte do metaverso para outro.

Ainda de acordo com os especialistas, também será essencial desenvolver ferramentas de programação simples o suficiente para permitir que qualquer pessoa crie seus próprios domínios e experiências virtuais, não apenas desenvolvedores qualificados.

As preocupações com privacidade e segurança também precisam ser abordadas. E, depois, há a questão das armadilhas potenciais do metaverso, incluindo a possibilidade de que as pessoas achem o reino virtual tão atraente que negligenciem suas necessidades do mundo real.

“Há potencial para preferir isso à vida tradicional”, diz Rachel Kowert, psicóloga de Ontário, Canadá, que estudou a saúde mental dos jogadores, sobre o metaverso, acrescentando que os riscos são maiores para as crianças. “Seu aprendizado básico sobre como se comportar e se envolver com o mundo é por meio de seus colegas e da interação social”, diz ela. “É um componente crítico de como aprendemos a ser pessoas”, destaca.

Como será o metaverso?

Executivos de empresas de tecnologia que ajudaram a criar o metaverso dizem que ele será vasto, com réplicas de lugares no mundo real – passado, presente e futuro – tudo renderizado em 3D ultrarealista. A tecnologia promete ser capaz de suportar um número infinito de usuários ao mesmo tempo.

O executivo da Nvidia Richard Kerris, que está ajudando a supervisionar um projeto de infraestrutura do metaverso chamado Omniverse, cita como exemplo um encontro de vários estudantes de qualquer lugar do mundo em uma viagem à Roma antiga. Nesse caso, os alunos poderiam espiar dentro de cada canto e recanto do Coliseu, com um gladiador virtual equipado com inteligência artificial para responder às perguntas.

Daren Tsui, executivo-chefe da Together Labs Inc., uma desenvolvedora de tecnologias sociais em Palo Alto, Califórnia, diz que, no metaverso, as pessoas poderão ver e interagir umas com as outras na forma de avatares. Mas, com os avanços antecipados nos gráficos, eles pareceriam muito mais realistas do que os personagens dos desenhos animados atuais.

Esses avatares também poderiam representar pessoas que já morreram, incluindo familiares e amigos, bem como figuras históricas. Ou seja, com a ajuda da inteligência artificial, eles poderiam simplesmente “voltar à vida”. “A experiência do avatar parecerá tão real que você dificilmente poderá diferenciar uma reunião virtual de uma reunião física”, garante Tsui.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2021/10/17/internet-e-redes-sociais/metaverso-quando-esse-mundo-vai-se-tornar-realidade/