mar 11

Metalúrgica diminui custos de ferramentaria com a impressão 3D

Com mais de sete décadas no mercado, a Riosulense, de Rio do Sul, inovou ao utilizar a tecnologia de manufatura aditiva para a fundição de peças.

Ao incorporar o uso da impressão 3D no desenvolvimento de protótipos para moldes automotivos e para a avaliação das aplicações, a empresa conseguiu reduzir em menos de uma semana o tempo de desenvolvimento de protótipos, além de diminuir custos.

A inovação na metodologia de trabalho ocorreu através do suporte da Wishbox Technologies, pioneira na revenda de impressoras 3D desktop no Brasil, que detectou que cerca de 30% das ferramentas produzidas exigiam alteração devido a modificações de projeto, o que em alguns casos poderia elevar o custo final da peça.

“Nosso processo de venda consiste no sucesso do cliente e, portanto, não estávamos dispostos a vender apenas o equipamento, mas a solução à fábrica que precisava reduzir o tempo de desenvolvimento das peças. Inicialmente, o engenheiro não tinha uma rápida resposta dos clientes quanto aos ajustes nos moldes. O processo de ferramental levava cerca de 2 a 3 semanas para ser concluído, o que uma impressora 3D poderia realizar em questão de horas. Além disso, eles dependiam de uma empresa externa para fazer a modelagem final das suas ferramentas, o que ao final das adequações resultava em até 60 dias para que a versão final, dependendo do grau de dificuldade e dimensões, fosse entregue ao cliente”, explica o diretor da Wishbox Technologies, Rodrigo Marin.

Através dos protótipos 3D, a exigência de modificações de ferramentas caiu para menos de 5% e o período de retorno do investimento da máquina acabou sendo inferior a 3 meses.

“Empresas tradicionais que não se derem conta ou que não reconhecerem que precisam se reinventar nos dias atuais estão fadados a desaparecer cada vez mais em um curto espaço de tempo. O processo de implantação da impressão 3D é um exemplo que está revolucionando a nossa engenharia e já impactou na imagem da empresa junto aos nossos principais clientes”, diz o diretor superintendente da Riosulense, Gunther Faltin.

Sobre a Riosulense: focada na produção de peças e soluções para o setor automotivo, está entre as maiores fabricantes da América Latina de peças fundidas e oferece ao mercado mais de 5 mil itens.
– via https://www.economiasc.com

FONTE: ECONOMIA