maio 19

Meta vai investir US$ 50 milhões e confirma parcerias brasileiras no metaverso

A Meta, empresa dona do Facebook, anunciou nesta quarta-feira (18) que investirá US$ 50 milhões (R$ 256 milhões) na criação do metaverso por dois anos. A empresa também reforçou que quatro entidades brasileiras, já anunciadas em setembro do ano passado, continuam no desenvolvimento do futuro ambiente de realidade virtual.

A companhia-mãe do Facebook esteve presente evento Blip ID 2022, em, São Paulo, que reuniu Duda Bastos, diretora de Negócios na Meta; Caroline Dalmolin, líder de parcerias estratégicas LATAM na Meta; e Dafne Souza, strategic Partner Manager LATAM na Meta

As organizações brasileiras — Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio), Institute for Research on Internet and Society (IRIS), Safernet e IP.Rec — estão entre as dez que receberão os recursos por meio dos Programas XR e Fundos de Pesquisa do metaverso. O objetivo é fomentar projetos e pesquisas externas que ajudarão no bem-estar e segurança do novo modelo de internet.

O metaverso é um conjunto de espaços virtuais que podem ser criados e explorados por meio de tecnologias como blockchain e realidades virtual, mista e aumentada. Como na internet atual, será possível realizar ações como trabalhar, jogar, estudar e comprar, mas em um ambiente mais imersivo.

Quatro entidades brasileiras ajudarão a produzir metaverso da Meta (Imagem: Reprodução/Meta)

O novo conceito é uma das bandeiras da Meta, empresa controladora do Facebook, desde outubro do ano passado; para a companhia de Mark Zuckerberg, este seria o passo natural da internet em sintonia com tecnologias emergentes como realidade virtual, 5G e internet das coisas.

A Meta detalhou nesta quarta-feira as atribuições de cada entidade no projeto metaverso. Seis delas são latino-americanas.

  • ITS Rio (Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio, Brasil) terá um hub de especialistas para identificar e informar oportunidades e desafios de inovação do metaverso nos países da América Latina, particularmente no Brasil;
  • IRIS (Institute for Research on Internet and Society, Brasil) estudará privacidade e proteção de dados em tecnologias imersivas no contexto das políticas e estruturas de governança existentes;
  • Safernet (Brasil) organizará um programa que inclui workshops e hackathons para discutir a segurança de mulheres e crianças em experiências de realidade virtual e aumentada;
  • IP.Rec (Brasil) analisará as políticas públicas brasileiras aplicáveis ​​à realidade virtual e aumentada;
  • C-Minds Eon Resilience Lab (México) vai se conectar a especialistas de toda a região para discutir e pesquisar oportunidades econômicas, privacidade e segurança, gênero e governança, incluindo a aplicação de tecnologias de aprimoramento de privacidade no metaverso;
  • Fundación Universidad de San Andres (Argentina) vai pesquisar tecnologias imersivas, além de identificar oportunidades e desafios éticos no metaverso, com foco em abordagens legais e regulatórias, inclusão, operações sociais e técnicas;
  • Jobs for the Future (Estados Unidos) deve demonstrar como as tecnologias de realidade virtual e aumentada podem fortalecer a competitividade de pequenas e médias empresas ao requalificar trabalhadores, incluindo os que estão em desvantagem no mercado de trabalho;
  • Chuo University (Japão) terá como foco pesquisas que possam melhorar o ensino e a aprendizagem de línguas estrangeiras, lideradas por Yukie Saito, professor associado da Faculty of Global Informatics;
  • Projeto Rockit (Austrália) investigará, por meio de uma série de consultas, as perspectivas dos jovens sobre seus relacionamentos com realidade virtual e aumentada, e também o que é necessário para criar comunidades sociais online mais seguras;
  • Australian National University (Austrália) vai explorar a estrutura do metaverso como um sistema: a interação dos elementos técnicos, sociais, culturais, regulatórios e ambientais.

Outros parceiros anunciados anteriormente foram a Digital Wellness Lab do Boston Children’s Hospital (EUA), para promover a alfabetização digital dos jovens no metaverso; a Colorintech (Reino Unido), que organizará uma competição para criadores; a Alte Nationalgalerie (Alemanha), que fará uma ponte entre as artes visuais e o novo ambiente; e a Peres Center for Peace and Innovation (Israel), que buscará oportunidades de impacto econômico e social no metaverso.

FONTE: https://canaltech.com.br/negocios/meta-vai-investir-us-50-milhoes-e-confirma-parcerias-brasileiras-no-metaverso-216667/