jul 16

Máquinas inteligentes de comida geram dados sobre funcionários para empresas

A partir dos pedidos, o robô barista Briggo consegue saber o ritmo biológico dos funcionários.

MÁQUINA-BARISTA BRIGGO COMPARTILHA AS INFORMAÇÕES DOS PEDIDOS DOS FUNCIONÁRIOS COM AS EMPRESAS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Como você toma o seu café? Açúcar, adoçante ou puro? Parece banal, mas essas informações podem ser muito importantes para a sua empresa. Com base na valorização dessas informações que a Briggo, companhia responsável pela criação de uma máquina de café inteligente, saiu do papel.

A máquina prepara vários tipos de café por meio de um aplicativo. A partir dos pedidos, consegue saber o horário que o funcionário chega ao trabalho e o ritmo biológico dele. “Nós sabemos tudo sobre você e sobre as bebidas que pediu”, disse o fundador Charles Studor, que afirma surpreender as empresas com os dados coletados pelo máquina-barista.

Os dados são compartilhados somente com as empresas que adotam a tecnologia dentro de seus escritórios. A Dell, por exemplo, usa as máquinas da Briggo na sua sede de Austin, Estados Unidos. De acordo com a startup, os dados são anônimos e servem apenas para medir padrões nos comportamentos dos colaboradores.

Essa não é a única startup envolvida nesse tipo de análise. A Byte, que oferece lanches em vending machines, convenceu um escritório de advocacia a adotar o seu serviço pela promessa de um possível futuro retorno financeiro. E deu certo. A partir dos dados coletados, a empresa descobriu que estava faturando mais, porque, em vez de almoçar fora, os funcionários comiam um lanche rápido e retornavam ao trabalho.

Vending machine da Byte (Foto: Divugação)

Nas grandes também

Conhecer o perfil dos clientes a partir do seu consumo tem sido uma estratégia comum entre as empresas de alimentos. Recentemente, o Mcdonald’s comprou uma startup israelense com o objetivo de oferecer um cardápio inteligente para os seus clientes. A tecnologia personaliza o menu de acordo com o cliente, que muda e dá sugestões conforme histórico de vendas, horário, clima e lotação daloja.

Carrefour usará blockchain para rastreio de alimentos (Foto: Divulgação/Carrefour)

No Brasil, o Carrefour acaba de anunciar que vai aplicar blockchain na sua cadeia de negócios. A ideia é que, que por meio de um QR Code, consumidores possam acessar as informações sobre as etapas de produção e distribuição dos alimentos.

No entanto, no caso dessas startups, ainda fica a questão da privacidade dos funcionários. Apesar de afirmar que compartilham com as empresas apenas os dados – e não os hábitos – dos funcionários, um colaborador da Briggo foi demitido após organizar um bolão com os colegas. Ele estava apostando que promoções e bônus seriam dados com base nas informações geradas pela máquina.

Confira o vídeo de promoção da Briggo:

FONTE: ÉPOCA