mar 09

Mães empreendedoras têm espaço sob medida de coworking e cursos em São Paulo

Além de ser um ambiente amigável para bebês, a Casa B2Mamy tem sala de amamentação e de sono e um espaço em que as crianças podem brincar enquanto as mães trabalham e estudam

Empreender ao mesmo tempo em que exerce a função de mãe – trabalho de 24 horas por dia, 7 dias por semana – é complicado, para dizer o mínimo.

Pensando nas dificuldades adicionais que esse grupo de mulheres enfrenta, Dani Junco fundou em 2016 uma aceleradora focada nas mães que empreendem em negócios de inovação e tecnologia.

A ideia para a criação do B2Mamy surgiu quando Dani passou por uma gravidez de 2014 a 2015 e enfrentou dificuldades para conciliar a maternidade com a carreira.

Um convite, em publicação no Facebook, para um papo com amigas que passavam pela mesma situação acabou sendo o estopim para o negócio que já atendeu mais de 7 mil mulheres e tem o apoio institucional do Google e do Facebook.

Entre os serviços oferecidos pela B2Mamy estão a orientação de ações estratégicas e a preparação das mães empreendedoras para apresentar seus projetos a investidores.

Em 2017, a empresa incluiu em seu cardápio cursos rápidos – e online – de temas ligados a empreendedorismo que pudessem ajudar as mulheres a desenvolverem seus negócios.

Em mais uma expansão, foi inaugurada a Casa B2Mamy em setembro do ano passado, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, após a arrecadação de R$ 150 mil em um crowdfunding – espécie de vaquinha online.

A Casa é um espaço colaborativo em que as empreendedoras parceiras têm direito a usar salas para trabalhar e realizar reuniões. O espaço também promove palestras e workshops e funciona das 9h às 19h.

Além de ser um ambiente amigável para bebês, a Casa B2Mamy tem sala de amamentação e de sono e um espaço em que as crianças podem brincar enquanto as mães trabalham e estudam.

Espaço Kids da Casa B2Mamy — Foto: Divulgação/B2Mamy

Espaço Kids da Casa B2Mamy — Foto: Divulgação/B2Mamy

O público é composto majoritariamente por mulheres de 30 a 56 anos, com filhos até dois anos e negócios voltados para os setores de tecnologia, alimentação, educação e moda.

As interessadas podem escolher entre três planos, com mensalidades que variam de R$ 199 a R$ 399, e oferecem pacotes de benefícios que vão de acesso livre ao espaço de coworking a um programa focado em crescimento de empresas e networking.

“Os espaços para trabalhar, conhecer novas pessoas, fazer uma reunião, bater um papo com uma mentora ou produzir eventos em São Paulo são caríssimos ou não estão preparados para a nossa comunidade. Ficar dentro de casa todos os dias é fazer menos dinheiro e movimentar menos a economia”, afirma Dani Junco.

A B2Mamy faturou R$ 1,3 milhão no ano passado e a meta é chegar a R$ 3 milhões neste ano, com a ampliação do números de casas.

Ainda neste ano deve ser aberto mais um espaço na Zona Sul de São Paulo e outras 11 capitais devem receber uma unidade da Casa B2Mamy até 2022. Belo Horizonte, Florianópolis e Recife são os próximos alvos.

Das 150 empresas que passaram pelo programa de aceleração da B2Mamy, 14 cresceram tanto a ponto de passarem para outros aceleradores ou estão em projetos ligados diretamente ao Google.

Quem se interessou, mas quer fazer um “test drive” antes de se comprometer com uma mensalidade, pode aproveitar o mês de março para usar o período de “degustação” gratuito oferecido pela empresa.

FONTE: VALOR INVESTE