jun 06

Lote de satélites para internet da Space X fecha primeira etapa da operação com êxito

Segundo um porta-voz da empresa, “todos os 60 satélites implantaram suas matrizes solares com sucesso, geraram energia positiva e se comunicaram com nossas estações terrestres”.

O primeiro lote de 60 satélites Starlink, cujo objetivo é fornecer serviços de acesso à Internet, está orbitando a Terra há cerca de uma semana. Agora, a SpaceX, comandada por Elon Musk, lançou uma atualização de status da missão. Segundo um porta-voz, “todos os 60 satélites implantaram suas matrizes solares com sucesso, geraram energia positiva e se comunicaram com nossas estações terrestres”.

Este lote de Starlinks é a o primeiro de muitos que farão parte de uma constelação de milhares de satélites. A missão deles é levar conexão à internet a todos os pontos do planeta, inclusive os mais remotos a um custo mais baixo. Para isso, a Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC) deu permissão à SpaceX para lançar cerca de 12.000 destes dispositivos ao espaço nos próximos anos.

Os 60 que já foram lançados estão posicionados a uma altitude de 440 quilômetros e caminham para uma altitude operacional de 550 quilômetros, que ainda pode demorar para ser atingida, segundo a SpaceX.

O comunicado não menciona diretamente as preocupações dos cientistas sobre seu brilho e visibilidade e que poderiam dificultar o avistamento de estrelas. Na semana passada astrônomos avistaram os satélites alinhados e muitos até acharam ser ovnis. De acordo com a SpaceX, “a visibilidade dos satélites Starlink é drasticamente reduzida à medida que elevam a órbita a uma distância maior”.

Elon Musk, enfatizou que este primeiro lote de Starlinks,mesmo formado por satélites operacionais, ainda está em fase de testes. Logo, não seria surpreendente se alguns problemas surgissem. De fato, a empresa está preparada para derrubar alguns deles se for necessário.

“A SpaceX continua a monitorar a constelação em busca de satélites que precisem ser desativados com segurança”, escreveram representantes da empresa na atualização desta segunda-feira (03/6). “Todos os satélites têm capacidade de manobra e são programados para evitar uns aos outros e outros objetos em órbita com uma margem ampla de segurança”.

A empresa de Musk não é a única que tem como objetivo fornecer internet acessível mundialmente através de uma grande constelação  de satélites em órbita baixa da Terra. Outras como a OneWeb, Telesat e Amazon também têm planos semelhantes.

FONTE: OLHAR DIGITAL