out 11

Investimento em carros elétricos somou US$ 1,9 bilhão no último trimestre

Apesar de ainda operarem no vermelho, montadoras apostam no sucesso do segmento entre as futuras gerações

O desenvolvimento de carros elétricos e inteligentes recebeu o aporte de US$ 1,9 bilhão R$ (R$ 7,1 bilhões) de investidores de risco no terceiro trimestre de 2018, de acordo com um relatório MoneyTree, divulgado nesta semana.

Somente a Lucid Motors, principal concorrente da Tesla na produção de veículos elétricos e luxuosos, foi beneficiada com US$ 1 bilhão de um fundo público da Arábia Saudita. O valor será investido na montagem da fábrica e no lançamento do modelo Lucid Air até 2020.

Das outras cinco empresas que receberam os aportes, três são focadas no desenvolvimento de veículos autônomos: Pony.ai, ThinCI, e Zoox. Nesta última foram investidos US$ 500 milhões.

Suporte de até US$ 350 milhões por trimestre

Os dados do último trimestre comprovam o crescente interesse dos investidores no setor. De acordo com a Fast Company, desde o final de 2016, o aporte no desenvolvimento tecnológico para veículos acumulou entre R$ 100 milhões e US$ 350 milhões por trimestre.

Apesar das cifras volumosas, os investimentos em carros elétricos ainda não se tornaram viáveis às montadoras. A Tesla, maior empresa do segmento, é o principal exemplo. Apesar de toda a fama e custos, a companhia de Elon Musk vive no vermelho. A GM também projeta o início do retorno financeiro no setor elétrico apenas a partir de 2021.

Para os especialistas, os empreendedores estão de olho nos clientes do futuro. Mesmo que as vendas de carros com energias mais limpas sejam baixas na atualidade, eles acreditam que as próximas gerações irão exigir maior comprometimento ambiental das montadoras.
FONTE:  ISTO É DINHEIRO