jun 07

Inteligência Artificial também no back office

Bancos são exemplo emblemático desta tendência, frente à necessidade detectada pelo setor de ir além das melhorias no atendimento, aspecto que prevaleceu durante a pandemia

Trabalhar com eficiência e segurança redobradas, até mesmo quando o cliente não se encontra à sua frente, é ponto fundamental na atual jornada dos bancos para que se mantenham competitivos no mundo digital.

No entanto, por trás de operações do dia a dia que chegam a parecer mágicas, a reboque de inovações como o Pix, vários processos ainda ocorrem manualmente no setor, incongruência comparável à existente num restaurante de comida contemporânea preparada em cozinha do século passado.

Por isso, estender à face oculta do atendimento a mesma modernidade hoje vista no chamado front office tem sido um desafio em escala mundial para o segmento bancário, na análise de especialistas. E a solução imposta pelos fatos, segundo eles, parece igualmente unânime: há de se investir muito mais em tecnologia no segmento.

Para entregar uma melhor experiência ao consumidor de serviços do sistema financeiro, é imperativo automatizar uma gama de tarefas repetitivas que persistem na área, como forma de obter ganhos em eficiência e redução de custos, aspectos já vencidos pela Inteligência Artificial e suas múltiplas ferramentas na substituição de agências físicas pelo acesso remoto.

Não é à toa, certamente, que 78% dos bancos adotaram a Inteligência Artificial em 2021 e 100% das instituições devem expandir seu uso em 2022, conforme revela a edição deste ano da Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária.

Em conjunto com automação de processos robóticos (RPA), por exemplo, IA tem proporcionado a companhias de vários mercados eficiência operacional capaz de melhorar processos e deixar o cliente muito mais satisfeito, e com os bancos não haveria de ser diferente.

Além de substituir operações manuais pelo trabalho de robôs, essa união de forças possibilita ampliar a análise do comportamento do cliente, assim como a eficiência da operação, tudo isso apoiado por relatórios e diagnósticos bem mais completos.

Os resultados de uma estratégia assim incluem ganho de escala e produtividade tão importantes quanto a alocação dos recursos humanos em missões mais nobres do que passar o dia apertando parafusos.

Igualmente expressiva, com essa nova visão do back office bancário, é a eficácia com que passam a se identificar tentativas de fraudes e invasões, antes mesmo que o dono da conta as perceba, tendo em vista o mesmo volume excepcional de dados que IA permite obter e analisar.

Tudo isso leva a crer que logo teremos muito mais motivos para nos sentirmos estrelando um filme de ficção científica ao pedir àquele grande banco, antes tido como burocrático e lento, uma proposta de crédito ou qualquer outra que tenha na rapidez um fator crucial para que se transforme em bom negócio para ambas as partes.

FONTE: https://infocredi360.com.br/exclusivos/inteligencia-artificial-tambem-no-back-office