ago 14

Inteligência Artificial recria autores para lerem seus próprios livros

iReader, versão chinesa do Kindle, permite assistir a dois autores famosos contando suas histórias

Sogou, empresa chinesa de tecnologia apoiada pela Tencent, anunciou uma parceria com o iReader, leitor de livros conhecido como o “Kindle da China”. O objetivo da união é aplicar Inteligência Artificial ao mercado da literatura. A primeira etapa será a criação de duas réplicas em vídeo de autores chineses consagrados, que vão ler seus próprios livros aos usuários.

Segundo comunicado da Sogou, as criações terão exatamente a aparência, os trejeitos e o tom de voz dos autores Yue Guan e Bu Xin Tian Shang Diao Xian Bing. Elas foram desenvolvidas a partir de gravações em vídeos dos escritores reais.

De acordo com a BBC, o mercado de audiobooks tende a atingir US$ 1,1 bilhão em 2020 na China. Embora a tecnologia de conversão de texto em áudio seja funcional, usuários ainda preferem a leitura feita por pessoais reais ao invés de vozes digitalizadas.

A eficácia dos algoritmos de Inteligência Artificial da Sogou já foi atestada em outra experiência semelhante. No fim de 2011, a empresa desenvolveu âncoras de televisão com a mesma tecnologia para apresentar as notícias do dia na agência oficial do governo chinês. Os âncoras são usados até hoje pelo canal (foto em destaque).

As aplicações da Inteligência Artificial são formas da Sogou de diversificar seu negócio, visto que o core da empresa, que é a ferramenta de buscas online, está desacelerando o crescimento. Esta é uma tendência na China, já que o Baidu, principal concorrente neste setor, também está se tornando menos relevante.

FONTE: STARTSE