set 20

Inteligência Artificial logo terá um papel mais central na economia

Saiba o que pensa Ajay Agrawal, professor da Universidade de Toronto, que propõe uma nova relação para a IA

Getty Images
A visão do economista Ajay Agrawal sobre a Inteligência Artificial: além do poder de previsão mais barato

Não tem faltado, nos últimos anos, atenção ao potencial da IA (Inteligência Artificial), juntamente com preocupações relacionadas com viés, viabilidade de dados, custos e resistência dos funcionários. Mas, podemos estar perdendo o ponto mais importante, quando se trata do impacto final da IA, argumenta um de seus principais defensores. Ou seja, estamos começando a terceirizar grande parte da tomada de decisões humanas para máquinas, o que pode ter implicações imprevistas – além de simplesmente fazer previsões mais baratas.

É hora de começar a olhar para a IA não da perspectiva de um tecnólogo, mas da perspectiva de um economista, afirma Ajay Agrawal, professor da Universidade de Toronto e coautor de Power and Prediction: The Disruptive Economics of Artificial Intelligence. Recentemente, Agrawal compartilhou suas opiniões sobre a próxima onda de IA em uma palestra realizada no Green College da Universidade da Colúmbia Britânica. A IA está entrando em sua próxima fase – subindo na cadeia alimentar de tomada de decisão. É aqui que ela está se movendo para um papel mais central na economia, diz ele.

No geral, houve uma certa decepção com a IA, pois ela parece não estar entregando os milagres inicialmente prometidos, acrescenta Agrawal, observando que muitas “coisas parecem muito menos impactadas do que pensávamos”. Por exemplo, o crescimento da produtividade ainda continua a diminuir. Ao mesmo tempo, continua Agrawal, a Inteligência Artificial ainda é um trabalho em andamento e estamos apenas começando a vê-lo se desenrolar.

Agrawal sustenta que é hora de ter uma “visão de economista” da IA. “Um cientista da computação ou um engenheiro falará sobre IA em termos de avanços em redes neurais. Mas, se você perguntar a um economista o que está acontecendo com a IA, ele a caracterizará como uma queda no custo da previsão. À medida que ela fica cada vez melhor, efetivamente torna a previsão cada vez mais barata.” Isso é significativo porque “usamos previsão em todos os lugares. A previsão está incorporada em todos os tipos de coisas em que você pode até não pensar em previsão – por exemplo, direção autônoma.”

A tomada de decisão, que é a fonte do poder financeiro e político na economia, tem dois componentes: previsão e julgamento, diz Agrawal. Essas duas funções estão sendo dissociadas em sistemas de IA – os humanos estão retendo o julgamento, mas transformando a previsão em Inteligência Artificial. “Estamos constantemente fazendo alguma forma de avaliação de probabilidade e uma avaliação de julgamento, quer percebamos ou não”, diz ele. “A ascensão da IA ​​está mudando um desses ingredientes – a previsão – de humanos para máquinas. Estamos terceirizando a parte de previsão para a máquina.”

Até o momento, a IA se concentrou em soluções pontuais – transcrever texto, detectar erros nas linhas de produção e assim por diante. “Colhemos todos os frutos mais fáceis entre todas as soluções pontuais em que você obtém apenas uma previsão, e a previsão leva a uma ação simples”, diz Agrawal. “Como uma ferramenta – ligada a uma câmera – que prevê se um dente em uma escavadeira, em uma operação de mineração, estiver quebrado. Essa é uma solução pontual, uma previsão que leva a uma ação específica. Não afeta mais nada na operação.”

A Inteligência Artificial começa a obter maior valor “quando você começa a construir um sistema totalmente autônomo, onde uma previsão de uma decisão afeta todas as outras decisões”, aponta Agrawal. “Do ponto de vista da economia, estamos no reino da teoria dos jogos, onde, se mudarmos uma decisão, como isso afetará todas as outras decisões?”

Mover o aspecto preditivo das decisões para as máquinas pode ser uma experiência reveladora à medida que se desenrola. A IA abre as portas para “um florescimento de novas decisões”, diz Agrawal. “Muitas dessas decisões são novas porque as ocultamos anteriormente por meio de regras, seguros e excesso de engenharia”, diz ele. “Fizemos um trabalho tão bom escondendo-os que há muito esquecemos que eles estavam lá. A Inteligência Artificial está desenterrando essas decisões latentes e escondidas há muito tempo.”

Isso é mais do que um exercício de criatividade – significa poder. “Tomada de decisão confere poder; mudanças na tomada de decisões podem levar a mudanças no poder”, diz ele. “Centralizar ou descentralizar a tomada de decisões consolidará ou distribuirá o poder.”

Isso significa transformação em toda a economia, afirma Agrawal. “A IA é sem dúvida a primeira ferramenta na história humana que aprende à medida que você a usa. Quanto mais você o usa, mais inteligente ele fica, porque toda vez você o usa.”

FONTE: https://forbes.com.br/forbes-tech/2022/09/inteligencia-artificial-logo-tera-um-papel-mais-central-na-economia/