ago 14

IMPRESSORA 3D PRODUZ MODELO DE STENT 4D QUE PODE MUDAR OS RUMOS DA MEDICINA

Pesquisadores do Laboratório de Robótica Multi-Escala do TH Zurich estão desenvolvendo um novo método que permite produzir estruturas detalhadas medindo menos de 100 micrômetros de diâmetro. A partir desse método de produção de microestruturas maleáveis pode-se produzir stents vasculares que são 40 vezes menores do que aqueles até então produzidos.

O desenvolvimento da pesquisa e produção foi motivada por Gaston De Bernardis, do Kantonsspital Aarau, também na Suiça. Acredita-se que no futuro, esses pequenos stents possam ajudar a ampliar as constrições que ameaçam a vida do trato urinário em fetos no útero. Aproximadamente uma em cada mil crianças desenvolve estenose uretral, muitas delas ainda quando são fetos.

Os stents têm sido muito utilizados no tratamento de vasos coronários bloqueados, mas em comparação, o trato urinário em fetos é muito mais estreito e, por isso, o desenvolvimento de stents seria um avanço na medicina em direção à saúde infantil.

Além dos stents, outras estruturas foram impressas em 4D indireto, como hélices feitas de hidrogel que é preenchido com nanopartículas magnéticas

Além dos stents, outras estruturas foram impressas em 4D indireto, como hélices feitas de hidrogel que é preenchido com nanopartículas magnéticas

Como stents 4D foram produzidos em impressoras 3D?

A resposta é “simples”: impressão 4D indireta. Os pesquisadores utilizaram o calor de um feixe de laser para cortar um modelo tridimensional, um negativo 3D, em uma camada micrométrica que pode dissolver com um solvente. Depois, preencheram o negativo com um polímero com memória de forma e definiram a estrutura usando luz UV. Por fim, dissolveram o molde em um banho de solvente e o stent tridimensional foi finalizado.

São as propriedades de memória de forma do stent que fornecem sua quarta dimensão. Mesmo deformado, ele lembra sua forma original e retorna a essa forma quando está quente. “O polímero com memória de forma é adequado para o tratamento de estenoses uretrais. Quando comprimido, o stent pode ser empurrado através da área afetada. Na área, ele retorna à sua forma original e amplia a área restrita do trato urinário ”, disse De Bernardis.

FONTE:  MEGA CURIOSO