abr 08

Implante na medula faz mulher com doença neurodegenerativa voltar a andar

Uma paciente com atrofia de múltiplos sistemas do tipo parkinsoniano (MAS-P) pôde voltar a andar depois de mais de um ano acamada graças a um implante na medula. A mulher tem uma doença neurodegenerativa que afeta diversas partes do sistema nervoso.

De acordo com o estudo publicado pelo The New England Journal of Medicine, o implante eletrônico reativou os nervos presentes na medula espinhal. Este tipo de implante já havia sido utilizado para tratar a pressão arterial baixa de pacientes tetraplégicos.

A MAS-P causa uma perda dos neurônios que regulam a pressão arterial, fazendo ela diminuir quando os doentes ficam em pé, podendo causar desmaio. O quadro é conhecido como hipotensão ortostática.

Com o implante, os neurônios que regulam a pressão arterial foram reativados e a paciente passou a não mais perder a consciência ao ficar em pé. Após 18 meses deitada, a mulher conseguiu andar até 250 metros com a ajuda de fisioterapia.

 “Já vimos como este tipo de tratamento pode ser aplicado em pacientes com lesões medulares. Mas agora podemos explorar as aplicações no tratamento de deficiências derivadas da neurodegeneração”, ressaltou uma das autoras do estudo, Jocelyne Bloch, neurocirurgiã do Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça.
Ilustração de lesão na medula espinhal
Implante na medula faz mulher com doença neurodegenerativa voltar a andar. Imagem: Magic mine/Shutterstock

O outro autor do estudo, Grégoire Courtine, professor de neurociência da Escola Politécnica Federal de Lausanne, explicou que o intuito inicial do implante na medula é causar alívio da dor, mas que com os novos resultados é possível pensar em um sistema especificamente destinado a tratar a hipotensão ortostática.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/04/07/medicina-e-saude/implante-na-medula-faz-mulher-com-doenca-neurodegenerativa-voltar-a-andar/