out 08

Gigante chinesa vai investir US$ 200 milhões no Nubank

A Tencent está pronta para desembarcar no Brasil e fará isso através do Nubank. A companhia chinesa está investindo US$ 200 milhões na fintech, adquirindo uma parcela de 5% da companhia e elevando seu valor de mercado a US$ 4 bilhões. O aporte, primeiro da gigante asiática no nosso país, transforma a startup em uma das maiores da América Latina e dobra sua avaliação mais recente, feita em março.

As informações são do Information, que também traz alguns detalhes sobre o negócio. Além da parcela de 5%, a Tencent também vai compartilhar tecnologia com o Nubank. Essa possibilidade leva o pensamento diretamente ao WeChat, um dos principais aplicativos de mensagens em funcionamento na Ásia, que também conta com uma bem-sucedida solução para transferência de dinheiro entre usuários e pagamentos em pontos de venda.

A sinergia lembra, ainda, duas outras soluções anunciadas recentemente pelo Nubank, não necessariamente relacionadas ao investimento. A nova versão dos tradicionais cartões roxos da fintech passa a contar com tecnologia de pagamento contactless, não mais exigindo que o plástico seja inserido no terminal, enquanto os usuários da NuConta, a conta corrente da empresa, ganharam há pouco tempo uma opção de transferência direta e gratuita de valores entre si.

O negócio, entretanto, não foi confirmado oficialmente, mas foi revelado ao referido veículo por fontes ligadas ao investimento. Ele já estaria finalizado e faria parte de um movimento da Tencent rumo a outros mercados emergentes, como o sudeste da Ásia, Índia e América Latina. Essa tendência também pode ser vista em outras gigantes do território, como a Didi, do mercado de transportes, que comprou a brasileira 99 no início do ano por US$ 960 milhões.

De acordo com os números mais recentes, o Nubank conta com cinco milhões de clientes de cartão de crédito, seu serviço inicial, sem anuidade e com transações controladas por aplicativo, e outros 2,5 milhões em conta corrente. Os totais são suficientes para tornar a fintech uma das maiores emissoras de plástico do Brasil e, também, a colocar entre as principais instituições financeiras do país.

Nenhuma das companhias envolvidas se pronunciou sobre o assunto, mas o negócio, se real e finalizado como indicado pelo The Information, não deve demorar para ser revelado. O Canaltech procurou o Nubank, mas ainda não havia recebido resposta até a publicação desta nota.

FONTE; CANAL TECH