maio 15

Fintech cria plataforma que permite fidelização com recompensas em dinheiro

Winn vai integrar conta digital à plataforma de fidelização que permite às empresas darem prêmios em dinheiro quando o cliente compra um produto cadastrado

A maioria das plataformas de fidelização utiliza um sistema de pontuação para recompensar os clientes. O processo é simples: os consumidores precisam gastar uma quantia determinada para juntar pontos e trocá-los por passagens aéreas, produtos, hospedagens ou desconto em serviços. Uma fintech brasileira criou uma plataforma diferente, que permite que as marcas deem dinheiro aos consumidores como uma forma de fidelizá-los.

Winn lança ao público sua conta digital no dia 20 de julho. Os consumidores poderão fazer transferências e pagar contas por meio do aplicativo. Enquanto a novidade não está disponível, a fintech prepara sua plataforma de fidelização.

Como funciona

A Winn lançou a plataforma onde as marcas cadastram recompensas para quem comprar seus produtos. Um fabricante pode dar R$ 2 para o consumidor que comprar um de seus biscoitos, por exemplo. Para ganhar a recompensa, o consumidor insere o código do produto na nota fiscal. Depois, o dinheiro cai em sua conta Winn Bank. O cliente pode fazer o que quiser com o dinheiro ganho, inclusive transferir para outro banco.

Ao se cadastrar na plataforma, a marca abre automaticamente uma conta corrente no Winn Bank. O mesmo vale para o consumidor, que terá acesso à conta no dia 20 de julho. Cada marca aparece na plataforma de forma individual, ou seja, ela cria o seu próprio programa de recompensa e fidelização.

Tela inicial da plataforma do programa de fidelidade

Para incentivar o consumidor a comprar novamente o produto de uma marca, a fintech criou níveis de fidelidade. A pontuação não é geral, varia de acordo com a marca, que estabelece o valor gasto para avançar de patamar. Quanto mais o consumidor compra produtos daquela marca, mais dinheiro ele recebe.

Segundo a Winn, o risco para a empresa que cria as recompensas na plataforma é menor em comparação a uma campanha comum. O valor resgatado pelo consumidor pode ser encarado como verba de marketing. A anunciante pode, inclusive, recompensar os consumidores que compartilham suas compras nas redes sociais.

FONTE: NOVAREJO