nov 19

Fabricante de robôs sexuais quer criar modelo que respira

Se existe uma lei que funciona em caráter permanente na tecnologia, é a de que qualquer inovação terá (ou pode começar) alguma conotação sexual. É inevitável: a indústria de filmes pornô é, costumeiramente, vista como pioneira nisso, por experimentar, por exemplo, novos formatos de vídeo em suas produções.

 O mercado de sex dolls, ou manequins/robôs eróticos usados pelos seu compradores para transar, vem crescendo muito ao adotar aspectos da inteligência artificial e desenvolvimento cada vez mais realista de detalhes como cabelo e pele sintética em seus produtos. A chinesa Ai-Ai Tech, porém, que levar isso ao próximo passo: a empresa buscou o auxílio da britânica CloudClimax para desenvolver um robô sexual que simule a respiração humana.

Pausa para o emoji pensativo:

Exatamente a mesma cara que fizemos…

A ideia, acredite se quiser, tem fundamento, se você pensar naquela relação com alguém que, por mais bela que fosse, parecia um objeto inanimado na cama. Lembrou? Pois é, se você não respira, não há excitação. Se não há excitação, o sexo pode e, provavelmente, está bem ruim. Se o sexo está ruim…bem, você já entendeu.

 Com as sex dolls não é diferente: independente do quão siliconadas e responsivas as tais bonecas sejam, na hora do ato em si, elas não terão reação. Todo o “trabalho” fica para o/a usuário/a. É um manequim belíssimo, mas ainda um manequim.

A Ai-Ai Tech já tem até um sistema semi-pronto que pretende introduzir (trocadilho intencional) em seu modelo, chamado apenas de “Emma”. Atualmente, além de atender aos desejos sexuais de seus compradores, ela também faz as vezes de secretária, podendo saudar o usuário com “bom dia” e similares, além de citar lembretes, como compromissos de agenda, despertador ou até massagear o seu ego, elogiando seu desempenho em jogos. Sim, é sério e se você duvida da gente, veja abaixo o vídeo de divulgação:

“Emma” também consegue reproduzir a temperatura humana: um aquecedor interno a mantém sempre em 36ºC. Ainda não se sabe, porém, quando a função de respiração deve chegar oficialmente. Mas quando isso acontecer, o bolso vai sentir: o modelo atual da robô custa, em média, R$ 14,5 mil. Com a função em pesquisa, isso deve subir consideravelmente.

Sim…tempos estranhos…

FONTE: CANAL TECH