jun 15

Estudo inédito revela 1,9 milhão de contagiados em 120 cidades do Brasil

A pesquisa que realiza testes massivos de coronavírus foi encomendada pelo próprio Ministério da Saúde, que não divulga estes dados. A subnotificação é 6 vezes maior aos números oficiais e em duas semanas houve um aumento de 50% nos contágios, número não visto em outro país do mundo

Jornal GGN – O número de casos de coronavírus no Brasil aumentou em mais de 50% em duas semanas. A subnotificação estimada nas cidades populosas é 6 vezes maior do que dizem os números oficiais. E a quantidade real de contagiados no país já superou a casa dos milhões. Essas são algumas das conclusões do estudo inédito de testes massivos em todo o território nacional, realizado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com o financiamento do Ministério da Saúde, em relatório que nem a própria pasta divulgou. O GGN obteve o estudo e traz as principais conclusões.

Trata-se da segunda fase dos testes massivos realizados em mais de 31 mil pessoas, em 133 cidades espalhadas em todos os estados brasileiros, entre os dias 4 e 7 de junho. A primeira parte do estudo foi realizada duas semanas antes, entre os dias 14 e 21 de maio, com pouco mais de 25 mil pessoas.

Nas cidades em que foi possível realizar 200 ou mais testes de Covid-19 nas duas fases – um total de 83 municípios -, os investigadores chegaram à conclusão de que o número de contagiados aumentou em 53% neste período de duas semanas. Os pesquisadores apontaram que esse rápido e expansivo aumento “é inédito” em estudos similares, como na Espanha, aonde o aumento neste lapso de duas semanas foi de 4%.

Os resultados absolutos obtidos pelos investigadores foi de 2,8% da população de 120 cidades testada portando os anticorpos de combate ao coronavírus, o que significa que estão infectados ou já se contagiaram. Repassando esta porcentagem à população completa de tais cidades, de 68,6 milhões de habitantes, 1,9 milhão tiveram coronavírus.

Os números, referentes a 120 cidades e 32,7% da população brasileira, já ultrapassam os dados oficiais divulgados pelo Ministério da Saúde para todo o país.

Os pesquisadores fazem a ressalva, contudo, de que as porcentagens destas 120 localidades não podem ser usados para estimar os contagiados de todo o Brasil, uma vez que se tratam de municípios populosos e, assim, com características que divergem de outras cidades pequenas ou áreas rurais. Mas eles garantem, assim como já confirmado nestas cidades, que a contagem de coronavírus no Brasil está “na casa dos milhões, e não mais dos milhares”.

Conforme visto na primeira amostra, a região Norte segue sendo a mais afetada, sendo 12 das 15 cidades com mais contagiados. Em Boa Vista, em Roraima, por exemplo, um quarto da população testada foi diagnosticada com coronavírus. Em Belém (Pará) são 16,9%, Macapá (Amapá) com 15% e Manaus (Amazonas) com 14,6%. Duas cidades do Nordeste também atingiram altos números de contagiados: Fortaleza (Ceará) com 15,6% e Maceió (Alagoas) com 12,2%.

No Rio de Janeiro, a segunda cidade mais populosa do Brasil, os resultados mais do que triplicaram, aumentando de 2,2% para 7,5%, indicando um total de 503 mil cariocas infectados. Outra mudança drástica foi vista em Fortaleza, quase dobrando de 8,7% para 15,6%, e em Maceió, o aumento foi 10 vezes maior, de 1,3% para 12,2%.

FONTE: jornalggn.com.br