jan 11

Esta varinha é como um Photoshop da vida real para a sua pele

Quando se trata de pele boa, pelo menos há sempre software de edição de fotos. Na vida real, no entanto, a única solução para cobrir manchas de idade, cicatrizes de acne, vermelhidão e olheiras é se besuntando em cremes. Mas a varinha de belezada Opté é como usar um airbrush do Photoshop na sua pele na vida real. Na verdade, depois de vê-lo em ação, estou meio convencida de que se trata de bruxaria.

O dispositivo funciona escaneando a pele, usando luzes LED azuis e uma câmera digital integrada. De acordo com a Opté, as luzes destacam o contraste na melanina da pele para detectar até três vezes mais pigmentação do que a olho nu. Enquanto isso, a câmera captura até 200 imagens por segundo, que são analisadas em tempo real usando 70 mil linhas de código para descobrir o tamanho, a forma e a intensidade do ponto pigmentado.

Um representante da Opté me disse que a varinha basicamente compara o tom de pele de uma mancha com o da pele natural ao redor dela. Uma vez que detecta uma área que não corresponde ao resto, uma microimpressora na varinha corrige o ponto usando um picolitro — que corresponde a um bilionésimo de um litro — de um soro contendo pigmentos minerais, hidratantes e ingredientes de iluminação para desvanecer a área hiperpigmentada ao longo do tempo.

O processo é muito sutil. Você basicamente balança uma varinha sobre sua pele, e o resultado é praticamente o mesmo que uma base aplicada com perícia. Exceto que, como você está vendo em tempo real, a transformação não parece tão dramática. Mas tenho que admitir: quando vi a tecnologia em ação, fiquei estupefata ao ver várias manchas de idade de um modelo desaparecer. Fiquei mais perplexa quando uma toalhinha de remoção de maquiagem mal tinha manchas depois de usada após a aplicação da varinha.

Foto: Victoria Song/Gizmodo

De acordo com a Opté, o dispositivo deve funcionar com qualquer tipo de hiperpigmentação, incluindo sardas, manchas de idade e cicatrizes de acne. A companhia também disse que o aparelho lida muito bem com a vermelhidão, mas que o dispositivo têm dificuldades com grandes áreas de descoloração, como é o caso da rosácea severa. Eu os fiz testarem em uma pinta bem escura no meu braço, e, embora ela não tenha desaparecido completamente, a varinha a deixou menos aparente.

Por ora, não há data de lançamento ou informações sobre preços. A Opté diz que ainda está trabalhando nesses detalhes para o lançamento ao consumidor. Será interessante ver o quão bem o dispositivo funciona em peles mais escuras. A Opté me garantiu que ele deve funcionar com todos os tons de pele, mas, historicamente, tecnologias baseadas em LED, como monitores de frequência cardíaca em wearables, têm frequentemente tido dificuldades com tons de pele mais escuros.

Ainda assim, se isso um dia significar que eu posso jogar fora minhas bases, meus corretivos e corretivos em bastão, só digo uma coisa: Opté, toma meu dinheiro.

FONTE: GIZMODO