maio 16

Esqueça o diesel: na Alemanha, caminhoneiros já podem recarregar motor em ‘rodovia elétrica’

Siemens iniciou o projeto em 2010 com uma pista de testes nos arredores de Berlim Foto: Reprodução – Siemens AG

Motores híbridos são reabastecidos por rede aérea enquanto veículo trafega. Sistema foi inaugurado na autobahn A5

Diesel em alta? Postos sem GNV ? Na Alemanha, isso é um problema do passado. O país acaba de inaugurar o primeiro trecho de uma ‘ rodovia elétrica ‘ que permitirá que caminhões com motores híbridos, movidos também a eletricidade , se conectem a fios aéreos da rede elétrica.

Com isso, os caminhões poderão se recarregar sem precisar parar, enquanto trafegam pela estrada. O trecho de 10 quilômetros ao sul de Frankfurt, na autobahn A5, foi inaugurado na semana passada, informou o estado de Hesse através de um comunicado.

O sistema — projetado pela empresa de engenharia Siemens  enquanto a unidade de caminhões Scania, da Volkswagen, forneceu os veículos — utiliza tecnologia semelhante a trens ou bondes, permitindo que caminhões se conectem à rede elétrica enquanto dirigem a até 90 quilômetros por hora.


Imagem indicativa de ‘bomba’ de recarga para veículos híbridos nas estradas
Foto: Bloomberg
Imagem indicativa de ‘bomba’ de recarga para veículos híbridos nas estradas Foto: Bloomberg

A eletricidade carrega a bateria do caminhão, permitindo que ele seja acionado eletricamente por algum tempo depois. Quando a bateria se esgotar, o veículo funciona com um motor a diesel.

Projeto iniciado em 2010

A Siemens iniciou o projeto em 2010 com uma pista de testes nos arredores de Berlim. A primeira pista completa foi aberta em 2016, fora de Estocolmo, e a empresa está trabalhando em outra na Califórnia.

A divisão de mobilidade da Siemens, que fabrica trens e equipamentos de sinalização, recentemente teve sua tentativa de se fundir com a concorrente francesa Alstom SA bloqueada pela Comissão Européia. O diretor executivo Joe Kaeser disse que prevê a expansão da unidade de trens para uma ampla gama de tópicos de mobilidade, como carros elétricos e autônomos.

FONTE: O GLOBO