abr 20

Endeavor lança guia que ensina a criar o pitch perfeito; veja dicas

Dar o primeiro passo e criar uma empresa do zero nem sempre é o maior desafio de empreendedores iniciantes. Apresentar o negócio e sua proposta de valor de uma maneira que atraia investidores, por sua vez, é o que pode causar calafrios em um bocado de empresários que lançam suas ideias ao mercado.

Pensando nisso, a Endeavor, rede de apoio ao empreendedorismo, criou um guia (na verdade, dois) para empreendedores à frente de startups e scale-ups (startups em estágio avançado de crescimento) criarem o pitch perfeito, chamado de Pitch Deck.

A ideia é ajudar essas empresas a acelerarem captações de investimentos em rodadas Seed e série A com recomendações de boas práticas nas apresentações do negócio durante os primeiros contatos com fundos de investimento. É possível acessar o documento pela página da Endeavor.

O material foi criado a partir de uma série de pesquisas com empresas que fazem parte da rede Endeavor. Depois de uma rodada de perguntas, a conclusão foi de que, apesar de terem captado  mais de R$ 6 bilhões em investimentos no último ano, as scale-ups afirmaram possuir baixo e muito baixo conhecimento sobre o mercado de venture capital, um dos mais promissores para a captação de recursos para PMEs.

“Há muito interesse em acessar Venture Capital, mas ainda existem diversas dúvidas sobre a jornada para empreendedoras e empreendedores. Mapeamos ao longo das mentorias do Scale-Up Endeavor que as principais são focadas nos estágios iniciais, sobre estratégia e preparação para captar, relacionamento com investidor e roadshow com fundos”, explica Matheus Balthazar, coordenador do programa Scale-Up Endeavor e especialista em acesso a capital.

O guia tem duas versões para empresas em estágios específicos de crescimento, o capital semente (seed) a Série A. O capital semente costuma ser o segundo investimento que as startups recebem, depois do investimento anjo, e serve para apoiar a validação de sua solução no mercado. Já a Série A busca escalar o negócio, segundo a Endeavor. Veja, abaixo, as principais recomendações para startups que querem criar o pitch perfeito e atrair investidores, por etapa.

Criação do deck

O deck, como é chamado o documento de apresentação inicial enviado a investidores, deve ser enxuto e despertar a atenção necessária para uma reunião futura. É uma missão e tanto: investidores dedicam apenas 5 minutos para a leitura de decks, segundo a Endeavor. Para isso, as recomendações da Endeavor são:

  • Criar uma apresentação de 10 a 12 slides, com até 25 palavras cada;
  • Incluir também a experiência dos fundadores, o tamanho do mercado atendido pela empresa, principais concorrentes e possíveis oportunidades.

“É importante levar em conta que investidores lidam com um volume alto de introduções de startups e precisam analisar rapidamente se há a possibilidade de investimento e de uma saída, por isso os slides devem conter todas as informações essenciais”, diz Gustavo Cruz, Principal do Scale-Up Ventures, fundo de co-investimento de impacto da Endeavor no Brasil.

Seed

No seed, o foco da apresentação deve ser provar que há espaço para a solução da startup no mercado. Por isso, é importante explorar todas as métricas relevantes para o negócio — e para investidores — mesmo que ainda em estágio inicial. Entre elas está:

  • receita da empresa;
  • número de usuários;
  • taxa de crescimento;
  • alcance;
  • taxa de cancelamentos.

Além disso, explore novas hipóteses para geração de demanda pelo seu produto ou serviço e deixe claro como a empresa faz sua monetização. Segundo a Endeavor, a apresentação ideal tem de 10 a 18 slides, e dura em média 20 minutos.

Série A

Durante uma apresentação em busca de investimento Série A, o empreendedor precisa destacar as métricas do negócio e mostrar que há justificativa para a entrada de capital dedicado à expansão. Algumas dessas métricas são relacionadas à empresa. Outras, ao produto em si.  A apresentação ideal, de acordo com a rede, tem de 15 e 25 slides com, no máximo, 15 palavras cada. Além disso, a recomendação é usar gráficos e outros elementos visuais que facilitem a compreensão. A apresentação deve conter:

  • Receita;
  • Taxa de crescimento;
  • KPIs/métricas;
  • NPS;
  • Frequência de uso;

Dicas extras

Segundo o documento, para verificar se o pitch está claro, o indicado é apresentá-lo a investidores-anjo ou empreendedores que já captaram com determinado fundo para receber avaliações sobre a apresentação e também ouvir experiências de outras empresas que já passaram por essa fase. O planejamento prévio também é vital. Segundo a Endeavor, o processo de captação deve começar de 6 a 9 meses antes da empresa precisar do capital em si.

FONTE: https://exame.com/pme/endeavor-lanca-guia-que-ensina-criar-pitch-perfeito/