ago 02

Empresas usam drones para acelerar o reflorestamento

Com esses robôs aéreos, o replantio de árvores pode ser feito até dez vezes mais rapidamente

Os drones podem fazer muitas coisas além de entregar pedidos do iFood. Esse robozinhos aéreos já estão sendo usados para lançar sementes no solo e replantar bilhões de árvores com rapidez para regenerar florestas, informa a Fast Company.

A canadense Flash Forest, por exemplo, já está usando drones para reflorestar, em ritmo acelerado, áreas extensas do país que foram devastadas por ação humana ou por queimadas causadas pelos efeitos do aquecimento global.

Para plantar árvores dez vezes mais rápido do que com o método tradicional, a empresa usa um software de mapeamento aéreo para identificar os melhores locais de plantio e, depois de selecionar as espécies adequadas com a ajuda de cientistas e especialistas, coloca os drones em ação para plantar 100 mil sementes por dia.

Sua meta é ambiciosa: semear 1 bilhão de árvores até 2028. Na primavera de 2021, a empresa tocou 13 projetos de replantio no Canadá; em 2022, iniciou ações em diferentes províncias para recuperar as áreas que foram afetadas por grandes incêndios.

“Chegando cedo a esses locais, conseguimos estabilizar o solo e maximizar o uso dos nutrientes disponíveis após o fogo. O reflorestamento com drones é um dos únicos meios disponíveis para fazer esse tipo de trabalho, pois esses locais geralmente são inacessíveis devido a questões de segurança”, relata um artigo no blog da Flash Forest.

Brasil: drones nas áreas rurais

Nos Estados Unidos, a agrotech Drone Seed, fundada em 2016, também usa a tecnologia para mitigar os efeitos das mudanças climáticas e restaurar florestas. Primeiro, seus drones usam imagens aéreas e um sistema a laser (LiDAR) para identificar as áreas que precisam ser replantadas. Depois, a equipe analisa a qualidade do solo, o escoamento da água e a exposição ao sol para definir quais espécies devem ser semeadas.

Só então os drones levantam voo sobre a área programada e lançam as sementes, que são acomodadas em um receptáculo de fibra que atua como substrato de germinação e pode conter fertilizantes e outros aditivos, como repelentes naturais de pragas. Em 2021, a empresa pantou meio milhão de sementes na região de British Columbia, no Canadá, para acelerar a regeneração de florestas nativas devastadas em um incêndio em 2017.

Será que essa novidade chega ao Brasil? Segundo a Fast Company, o uso de drones está crescendo nas áreas rurais, em geral para mapear áreas de cultivo e reservas legais e coletar detalhes que melhorem a produtividade agrícola de baixo impacto ambiental. “São sistemas que podem ser somados ao processo de replantio de vegetação usando drones”, aponta a publicação.

FONTE: https://news.ifood.com.br/empresas-usam-drones-para-acelerar-o-reflorestamento/