ago 24

Empresa perde controle de satélite após tempestade solar

A Intelsat perdeu o controle do satélite Galaxy 15 após uma falha ocorrida na última sexta-feira (19). Segundo a empresa, o incidente foi provavelmente causado por uma tempestade geomagnética, que parece ter afetado os componentes eletrônicos do sistema de comunicação com o satélite.

Segundo Melissa Longo, representante da empresa, o Galaxy 15 e suas cargas úteis seguem em operação nominal. Enquanto a Intelsat tenta retomar o comando do satélite, os clientes atendidos por ele foram transferidos para outros satélites, para garantir a continuidade dos serviços. A empresa irá eventualmente desorbitá-lo, para que seja queimado ao reentrar na atmosfera da Terra.

Satélite Galaxy 15 em laboratório, antes do lançamento (Imagem: Reprodução/Orbital Sciences)

O Galaxy 15 é um satélite que faz transmissões de mídia na América do Norte e opera em uma órbita geoestacionária a 133º na direção oeste. Ele foi produzido pela Orbital Sciences Corporation e foi lançado em 2005; cinco anos após o lançamento, a Intelsat perdeu temporariamente a capacidade de controlá-lo. Na época, a empresa apontou que a falha foi causada pela atividade solar.

Esta não é a primeira vez que a atividade do Sol causa problemas em satélites. No início do ano, uma tempestade solar pareceu ter sido a “culpada” pela reentrada inesperada de 40 satélites Starlink, da SpaceX: o fenômeno causou um leve aumento na densidade da atmosfera, que acabou ampliando também a força que “puxava” os satélites para baixo.

A tempestade solar

As tempestades geomagnéticas ocorrem quando as partículas do vento solar causam perturbações temporárias na magnetosfera da Terra; normalmente, a maioria delas é inofensiva. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) havia emitido um alerta no dia 16 sobre a ocorrência de uma tempestade geomagnética de nível G3, ressaltando que o fenômeno costuma causar impactos mínimos na tecnologia.

O clima espacial descreve as condições ambientais no espaço, afetadas pela atividade solar (Imagem: Reprodução/ESA/Science Office)

Por outro lado, as tempestades mais intensas podem causar problemas significativos em transmissões de rádio, em redes elétricas, satélites e mais. Além disso, vale lembrar que este ano foi marcado por uma série de erupções solares e ejeções de massa coronal, que sugerem que o Sol está “acordando” para a fase mais ativa de seu ciclo de 11 anos.

Para Tzu-Wei Fang, cientista espacial no Centro de Previsões do Clima Espacial na NOAA, as condições relativamente “tranquilas” do clima espacial (nome dado às mudanças nas condições do espaço próximo da Terra) nos últimos anos estão acabando — ela destacou que um novo ciclo de atividade solar deverá chegar ao pico no meio desta década, e que poderá ser mais intenso do que o previsto.

Fonte: SpaceNews; Via: Space.com

FONTE: https://canaltech.com.br/espaco/empresa-perde-controle-de-satelite-apos-tempestade-solar-223762/