jul 14

Edtech brasileira cria tecnologia para sala de aula high-tech atuar de forma humanizada até em aula de robótica

Ao levar a tecnologia para as salas de aula, de forma humanizada, startup embarca pela inovação e criatividade no ensino de temas complexos como a Robótica

o cientista Alisson de Castro CEO da ModalEduca cuja proposta é que ao humanizar o ensino de temas aparentemente complicados. – FOTO: DIVULGAÇÃO

Especialista em Humanidades Digitais, o cientista Alisson de Castro sempre se perguntou: Por que um professor de Língua PortuguesaMatemáticaHistória ou outra disciplina não pode adquirir uma tecnologia de sala de aula ajudá-lo a desenvolver suas próprias habilidades enquanto profissional da Educação usando as ferramentas que os especialistas em robótica, por exemplo, já utiliza, mas de forma humanizada?

Mas como fazer que esta ‘humanização’ seja feita na prática através de materiais didáticos produzidos para oferecer ao aluno uma formação global e ampla sobre os muitos temas existentes no campo da tecnologia com material adequado para o ensino público e privado.

Alisson de Castro decidiu criar um startup da qual virou o CEO. A ModalEduca cuja proposta é que ao humanizar o ensino de temas aparentemente complicados obtenha retornos mais notáveis.

A proposta da empresa é encontrar soluções que possam levar para as salas de aula, de forma criativa e estimulante, o ensino de temas complexos como a Robótica, sem que isso seja apenas um aprendizado de mecatrônica mirando competições.

E de gerar produtos e conteúdos que possibilitem a que professores e alunos temas relacionados à tecnologia, de forma simples e inovadora transformando as salas de aula, de forma criativa e estimulante?

DIVULGAÇÃO

O robozinho para o ensino infantil e uma interface para o ensino lógico e computacional. – DIVULGAÇÃO

A sua empresa, a ModalEduca é a única edtech educacional presente na Eletrolar Show, evento que reúne empresas de tecnologia e negócios digitais da América Latina e ocorre em São Paulo até 14 de julho quando ele vai lançar dois novos materiais: um robozinho para o ensino infantil e uma interface para o ensino lógico e computacional.

Alisson de Castro leva a sério o slogan da sua empresa “Educação não é brincadeira”. A nossa missão é humanizar o ensino da tecnologia oferecendo aos alunos e professores o contexto de cada tema apresentado através de materiais criados. Especialmente para mostrar o quanto o ‘mundo’ que envolve a tecnologia, sua história, suas referências e informações, é rico e surpreendente”, finaliza.

A proposta da ModalEduca é que o aprendizado seja inovador tanto para os professores que desenvolvem diversas competências para além da prática pedagógica.

Isso vem com inteligência emocional, análise sistêmica, crítica e liderança (entre outras) estimulando os alunos a também seguirem este ‘caminho’ de aprendizado da tecnologia enquanto também desenvolvem suas próprias habilidades.

Para o CEO da ModalEduca, neste contexto, a escola não tem dependência de um professor de robótica porque a robótica está inserida em todas as aulas, atividades e disciplinas.

E isso como uma empresa brasileira impacta no custo acessível, já que o material é produzido no Brasil.

Cada um destes aspectos contribui para explicar porque a ModalEduca foi, entre várias startups, a escolhida pelo Sebrae na categoria “educação tecnológica”.

Para ele, o desafio da humanização do aprendizado tecnológico é fazê-la por meio do estímulo às habilidades como pensamento inovador e analítico; aprendizagem ativa e estratégica; criatividade, originalidade e iniciativa e também no fato de que os materiais didáticos podem ser utilizados por professores das demais disciplinas de forma humanizada.

FONTE: https://jc.ne10.uol.com.br/colunas/jc-negocios/2022/07/15043951-edtech-brasileira-cria-tecnologia-para-salas-de-aula-high-tech-atuar-de-forma-mais-humanizada-ate-em-aula-de-robotica.html