dez 22

Economista norte-americano: dólar tem ‘os dias contados’ como moeda mundial

A rapidez com que o dólar norte-americano deixará de ser a principal moeda mundial dependerá das ações do presidente dos EUA Donald Trump, afirmou o economista.

A longa hegemonia do dólar como a principal moeda mundial pode ser destruída em breve, disse o especialista em sistemas monetários globais Barry Eichengreen. Se assim for, ficará equiparado ao euro ou ao yuan chinês.

Recentemente Eichengreen, que publicou – junto com economistas do Banco Central Europeu – o livro “Como funcionam as moedas globais: passado, presente e futuro”, analisou as reservas dos bancos centrais de 1910 a 1970.

O especialista afirmou que a teoria de que existe apenas uma moeda que domina o comércio mundial não é certa e explicou que as três moedas principais são obrigadas a compartilhar o protagonismo. Além disso, ele considera que o yuan chinês poderia se posicionar como a moeda principal se o governo chinês adotar as reformas adequadas neste campo.

Eichengreen, que também é professor de economia na Universidade da Califórnia, declarou que o tempo que levaria para o colapso do dólar como moeda mundial dependerá das ações realizadas pelo presidente dos EUA Donald Trump e que isso acontecerá “mais cedo que tarde”, informou o portal Quartz.

Moedas como o franco francês ou o marco alemão também tiveram relevância internacional, além da libra esterlina no período anterior à Primeira Guerra Mundial, mas “a ausência de alternativas permitiu que o dólar se aproximasse da monopolização do papel de moeda internacional na segunda metade do século XX”, afirmaram os economistas.

Quanto ao bitcoin, Eichengreen opinou que apesar de a moeda virtual ser um meio de pagamento mais eficaz, não é uma boa reserva de valor.

FONTE: SPUTNIK