out 26

E-commerce 4.0: Vale a pena substituir o e-commerce por marketplace?

Após a pandemia da Covid-19, os marketplaces cresceram 68% de acordo com o relatório Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) de 2021, tornando-se uma vitrine online, na qual os consumidores conseguem pesquisar seus “sonhos de consumo” diretamente de casa, sem precisar ir até às lojas físicas. Com isso, a evidência destes canais cresceu de forma rápida, atraindo novos clientes.

Há diversas vantagens em investir nas vendas de produtos via marketplace. Pois, além de possuírem visibilidade bem mais ampla, as plataformas de vendas acabam gerando mais benefícios e margem de lucro, acarretando em vendas mais significativas e, automaticamente, em um rendimento financeiro maior.

Como os e-commerces não possuem grande variedade de produtos, foram aos poucos substituídos pelos marketplaces, que apresentam um catálogo mais amplo, criando uma melhor experiência para os compradores. Isso acontece porque as plataformas reúnem diversos lojistas, fazendo com que a oferta seja maior do que os de e-commerces, que geralmente são administrados por uma única empresa.

Com o marketplace se tornando a primeira opção para compras de muitos consumidores, diversas plataformas de e-commerce aderiram a essa modalidade, para incrementar as vendas e para que o faturamento continuasse em alta, e para se manterem atualizados no mercado.

Pensando nisso, listei abaixo 4 motivos que fizeram com que os e-commerces fossem substituídos pelos marketplaces:

Investimento mais modesto

Para atuar em um marketplace, o custo é muito menor, pois o lojista se associa à plataforma e pode passar a realizar vendas diretamente pela mesma. É cobrado apenas uma comissão das vendas realizadas e descontada do repasse/pagamento, ou seja, não precisa pagar nada com antecedência. Inclusive, se o cliente parcelar em 12x, o vendedor recebe em apenas uma parcela.

Já no e-commerce, todo o processo de tráfego do site como Google ADS, Shopping, ADS no Facebook e Instagram, é um custo mais alto. E vale ressaltar, que quando realizada uma venda sendo por click, o vendedor tem que pagar antecipadamente e não é garantido a mesma.

Política de Envio

Muitos marketplaces possuem uma logística simples e direta, onde contratam empresas terceirizadas para realizar o envio dos produtos para os compradores de uma forma mais rápida. Isso porque, existe uma coleta realizada pela empresa e a funcionalidade do fullfilment.

Já os donos de e-commerce precisam realizar o envio das encomendas por conta própria, e isso pode acabar gerando altos custos e atrasos involuntários, pois para ter o fullfilment, é necessário um operador logístico.

Variedade de produtos e visibilidade

Normalmente, os sites de e-commerce não possuem uma experiência de navegação tão boa comparada ao marketplace, com isso, os compradores recorrem a eles como uma segunda opção, e pesquisam por plataformas onde há variedades de produtos e de diferentes vendedores.

Além disso, os marketplaces são excelentes vitrines, e é muito mais fácil o internauta chegar a eles do que aos sites próprios, sem contar com os aplicativos das plataformas, como o do Mercado Livre, que possui mais de 300 milhões de anúncios no site. Assim, com uma visibilidade maior e um leque amplo de mercadorias, o consumidor frequentemente acaba usando os marketplaces via celular, onde realizam cerca 60% de transações, e adquirindo mais itens do que planejavam.

Segurança em receber o pagamento

Apesar das duas formas de vendas serem seguras, os lojistas de marketplaces possuem uma certeza maior de que irão receber por suas negociações. Como eles estão cadastrados em uma plataforma, há todo um ciclo de aprovação da venda, desde o momento que o comprador coloca o produto no carrinho, até o pagamento.

Se houver qualquer imprevisto, eles terão um contato direto com os clientes, além do respaldo do site para resolver da melhor forma possível a questão do erro na venda. Em contrapartida, os responsáveis pelos e-commerces precisam realizar todo o processo diretamente com o cliente, sem nenhuma mediação.

Com isso, é possível verificar que é vantajoso apostar nos marketplaces, pois além de serem “chamarizes” para os clientes, oferecem múltiplas vantagens em relação ao modelo de negócio e logística para vendas, fazendo com que as transações sejam realizadas de uma forma mais rápida, fácil e segura.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/10/24/colunistas/e-commerce-4-0-vale-a-pena-substituir-o-e-commerce-por-marketplace/