jul 20

Drones vão invadir céus do Reino Unido para entregar correio, medicamentos ou acautelar segurança

Entrega de medicamentos, de correio e serviços de vigilância com drones vão começar a ser comuns no RU, já a partir de 2024. Estes são apenas alguns projetos financiados pelo governo para desbloquear o valor potencial dos drones na economia local, que poderá representar 650 mil empregos, até 2030.

O governo britânico anunciou esta segunda-feira um investimento de 273 milhões de libras que vão ser aplicados a projetos de inovação na área da aeronáutica, para melhorar a mobilidade e os sistemas de transporte no país. Normalizar e promover a utilização de drones para vários fins é uma das grandes prioridades do programa. A outra é reduzir o impacto ambiental dos sistemas de transportes usados no país, apostando em energias limpas e criando novas infraestruturas de suporte.

A maior parte das iniciativas que vão chegar ao terreno nos próximos anos, vão ser desenvolvidas pela indústria, que recebe financiamento para projetos já selecionado, como o projeto da Skyway, que vai receber 12,9 milhões de libras para implementar um sistema de monitorização de infraestruturas, como autoestradas ou portas, feito a partir de drones.A empresa explicou ao site da BBC, que até 2024 quer ligar o espaço aéreo sobre Reading, Oxford, Milton Keynes, Cambridge, Coventry e Rugby, para poder prestar estes serviços.

No pacote de apoios definidos na verdade 105,5 milhões de libras vão especificamente para novas tecnologias e sistemas de transportes, com projetos que o Governo estima poderem criar 8.800 mil novos empregos.

Neste universo de projetos financiados, também se destacam as iniciativas que vão ajudar a promover cuidados de saúde e comunicações facilitadas nas zonas mais remotas do país.  Há 2,4 milhões de libras previstos, por exemplo, para uma iniciativa liderada pela Open Skies Cornwall, que vai trabalhar com a Royal Mail e o NHS Kernow (serviço de saúde) para garantir o fornecimento regular de medicamentos e correio aos habitantes das ilhas Scilly.

Outro projeto (CAELUS 2) vai contar com 10 milhões de libras para criar um sistema de distribuição de produtos médicos e medicamentos em toda a Escócia. Um dos objetivos é garantir que as populações locais em tratamento de doenças como o cancro possam receber estes tratamentos localmente nas suas comunidades, sem terem de deslocar-se a hospitais centrais.

A clarificar a nova aposta vai ser publicada uma declaração de ambições, onde o Governo vai explicar a intenção de colaborar com a indústria e como, para desbloquear um potencial que se estima de 45 milhões de libras para a economia britânica, com a introdução de drones nestas diferentes vertentes. Os projetos e iniciativas associadas a este Drone Ambition Statement, refere uma nota do Governo, podem criar 650 mil empregos até 2030.

“A integração de drones no nosso sistema de transporte desempenhará um enorme papel na melhor ligação das comunidades, desde a potencial entrega de tratamentos vitais do SNS em comunidades isoladas, até à captura de imagens aéreas de alta qualidade para equipas de salvamento, sublinhou já Robert Courts, ministro dos transportes, na nota divulgada no site do Governo.

FONTE: https://tek.sapo.pt/noticias/negocios/artigos/drones-vao-invadir-ceus-do-reino-unido-para-entregar-correio-medicamentos-ou-acautelar-seguranca