mar 18

Drones aumentam a eficiência de usinas solares

Sensores térmicos acoplados aos vants DJI fornecem dados precisos e ajudam a melhorar operações de rotina

A capacidade dos Drones de percorrer grandes distâncias para capturar imagens em alta resolução permitiu que empresas aumentassem sua eficiência em diversas atividades. Nas usinas solares, por exemplo, a tecnologia de sensores térmicos acoplada aos Vants fornece dados precisos, garantindo que as operações de rotina sejam conduzidas com maior eficiência, desempenhado um papel importante na exploração de energia limpa e sustentável.

O crescimento da indústria de Energia Solar
Frente à preocupação global com a emissão de gases de efeito estufa e o esgotamento de recursos naturais, a discussão sobre diversificar a matriz energética e investir em fontes de energia renováveis, como a solar, é cada vez mais latente em todos os países. Na última década, esse tipo de energia somou um investimento de US﹩1.3 trilhão. Um dos motivos que tornaram este tipo de energia uma das favoritas ao redor do mundo foram os custos de instalação: entre 2010 e 2019 houve uma diminuição de 73% no valor de instalação de placas fotovoltaicas kW.

O papel dos drones na inspeção de usinas solares
Para atender a demanda de 100.000 casas por meio de energia solar, por exemplo, é necessário que centenas de placas fotovoltaicas sejam instaladas em uma área de, aproximadamente, 2.500 acres. Inspecionar uma operação dessa magnitude é uma tarefa trabalhosa e demorada, considerando que os métodos tradicionais de avaliação do campo solar consistem em analisar cada painel com termovisores portáteis para verificar se há células ou cabos com defeito.

Frente à preocupação global com a emissão de gases de efeito estufa e o esgotamento de recursos naturais, a discussão sobre diversificar a matriz energética e investir em fontes de energia renováveis, como a solar, é cada vez mais latente em todos os países

Por isso, o uso de drones nos processos de inspeção torna todo o trabalho muito mais eficiente e prático. Por exemplo, o DJI Matrice 210 RTK V2 – VANT equipado com cargas térmicas XT2 – é capaz, em um único voo, de fazer vistorias em áreas extensas de usinas solares, coletando imagens RGB térmicas de alta resolução. O uso dessa tecnologia otimiza a tarefa, reduzindo o tempo de trabalho em até 70% em relação aos métodos tradicionais.

É importante ressaltar que a inspeção com o uso de drones vai muito além de pilotar o aparelho. Além de um planejamento detalhado e um profundo entendimento da área a ser vistoriada, há ainda outros passos que devem ser seguidos. Confira:

Avaliação da usina solar
A primeira coisa a ser feita pelo time de inspeção é dimensionar todo o espaço da usina solar. Apenas a partir das medidas que encontrarem neste primeiro processo é que será possível elaborar um plano de ação eficiente. Cada estratégia de inspeção possui suas características particulares, mas existem alguns aspectos em comum que devem ser levados em conta durante o processo, como a área da usina, o número de painéis instalados e a capacidade de produção de energia.

Plano de voo
Os planos de voo são criados com base nas informações coletadas durante a fase inicial de avaliação da área. Após estudar a capacidade da bateria do drone e o Ground Sample Distance (GSD) – Distância de Amostra do Solo, em tradução livre – calcula-se a área máxima que pode ser coberta. Com essas informações, cria-se o plano de voo que será importado para o DJI Pilot app (aplicativo que prepara os operadores do drone para a execução da tarefa).

Coleta de dados
A essa altura, uma vez cumprido os dois passos anteriores, o time de inspeção já possui todas as informações necessárias para começar a operação. É recomendado ter à mão baterias reservas para que o time possa trocá-las e carregá-las sempre que necessário. Dependendo das dimensões da usina solar e do plano traçado, o time de inspeção consegue realizar 25 voos e coletar mais de 6.500 imagens por dia.

Organização e processamento de dados
Todos os dados coletados devem ser armazenados e organizados para processamento. A partir das imagens obtidas, o software de fotogrametria reconstrói os mapas térmicos e RGB e, por meio dos pontos de controle do solo (Group Control Points), ajusta o posicionamento dos dados. Depois da reconstrução dos mapas e do ajuste de posicionamento, os arquivos de mapeamento podem ser integrados ao Sistema de Informação Geográfico (Geography Information System), por meio do qual as equipes de manutenção conseguem identificar qualquer tipo de anomalia que podem acarretar problemas.

Todos esses processos feitos por meio do drone, se conduzidos da maneira correta, podem trazer muitos benefícios para as inspeções aéreas. Entre as principais eficiências que a aplicação do drone trazem, destacam-se:

Imagens Termais e RGB
Imagens aéreas fornecem uma perspectiva mais abrangente das usinas solares e permitem que os times de manutenção consigam dados importantes em tempo real – como, por exemplo, o status de funcionamento de cada painel solar instalado. Ao se analisar os mapas termais, é mais fácil de detectar aquecimentos anormais nas estruturas vistoriadas. Combinar dados termais e RGB ajuda a apontar se os problemas identificados foram causados por danos externos, como poeira, delaminação e rachaduras, ou, se foram causados por algum defeito interno. Tais informações são muito úteis para evitar erros humanos e, assim, garantir uma operação muito mais precisa.

Eficiência de Tempo
Uma das principais razões de se adotar drones para a inspeção de painéis solares é a economia de tempo gasto nos processos. Com duas equipes dedicadas aos drones, é possível vistoriar aproximadamente 617 acres por dia. Por meio dos métodos tradicionais, a mesma área demandaria de três a quatro meses.

Fora isso, é importante destacar que a detecção precoce de elementos defeituosos em uma usina solar ajuda a evitar grandes deficiências na produção. Quanto mais rápido uma equipe for capaz de encontrar qualquer tipo de falha, em menos tempo ela conseguirá encontrar uma solução eficiente.

Histórico de dados
Manter informações e inspeções anteriores é útil para descobrir as causas por trás de eventuais problemas apresentados pelos painéis solares. Em alguns casos, problemas com as células solares não justificam a troca de um painel, mas é importante manter os dados sempre arquivados para poder acompanhar a situação da peça e impedir problemas futuros. Para manter um histórico de dados mais robusto, é recomendável que se faça uma inspeção aérea logo depois de se inaugurar uma usina solar e usar os dados coletados como uma base para as futuras inspeções.

Por fim, pode-se dizer que, com a necessidade cada vez mais crescente de soluções tecnológicas eficientes, diferentes setores de indústrias estão atrás de ferramentas que ajudem na otimização e das operações, tal qual o setor de energia. Neste contexto, a DJI continua desenvolvendo soluções cada vez mais modernas e práticas para atender as demandas da indústria. A versatilidade e as diversas possibilidade de aplicação dos drones apresentam uma maneira de trabalhar muito mais segura e eficiente, apontando para um futuro promissor de tecnologia e inovações.

Serviço
www.dji.com
store.dji.com

FONTE: INFOR