jun 29

“Discos voadores”? Satélites circulares serão testados em 2024

A NASA aprovou um voo de demonstração para DiskSats, satélites finos com formato circular projetados pela Aerospace Corporation, que devem ser lançados a diferentes altitudes durante a missão. A empresa produziu quatro unidades de DiskSats e um dispensador, e planeja lançá-los em 2024 para validar a tecnologia. Até o momento, não há nenhum foguete selecionado para o lançamento.

Com 1 m de diâmetro e 2,5 cm de espessura, os DiskSats têm ampla área de superfície disponível para painéis solares, capazes de produzir até 80 watts para circuitos eletrônicos a bordo; já aqueles que estiverem equipados com painéis solares dobráveis podem produzir até 160 watts. Grande parte da energia produzida deverá ser dedicada à propulsão deles. Eles têm design adaptável, e suas dimensões podem ser alteradas de acordo com a capacidade do veículo lançador.

Representação dos DiskSats empilhados na carenagem de um pequeno foguete (Imagem: Reprodução/Aerospace Corp.)

Além de produzirem mais energia e serem mais leves que os cubesats, os DiskSats têm a vantagem de usar a propulsão elétrica para realizar alterações consideráveis em suas órbitas: por exemplo, um DiskSat de 10 kg poderia se mover da órbita baixa da Terra até a geossíncrona ou, quem sabe, para a órbita lunar.

Durante o voo de demonstração, um dos pares de DiskSats deverá ser liberado do foguete a cerca de 500 km de altitude, e realizará uma manobra para entrar em uma órbita de 250 km. A equipe da missão planeja usar o sistema de propulsão para manter os DiskSats àquela altitude por mais de uma semana, para depois movê-los a uma órbita mais alta.

Já o segundo par de satélites deverá voar em uma órbita excêntrica, com perigeu (o ponto mais próximo da órbita em relação à Terra) abaixo de 200 km. “O sistema de propulsão tem impulso suficiente para compensar o ‘arrasto’ para até 230 km em uma órbita circular”, explicou Richard Welle, inventor dos satélites e cientista na Aerospace Corporation.

Em paralelo, o dispensador desenvolvido pela empresa será usado para liberar os satélites no espaço. “A longo prazo, você poderá ter voos com 20 DiskSats em um único dispensador”, sugeriu Welle. “Estamos desenvolvendo um mecanismo que vai liberar um por vez, com tempo suficiente para garantir a separação entre os discos adjacentes na pilha”, disse.

Como têm estrutura leve e interior vazio, os componentes dos satélites podem ser distribuídos pelo volume interno deles. Aqueles que estiverem na órbita baixa da Terra devem reentrar rapidamente na atmosfera após o fim de suas missões: na ausência de algum sistema de controle de altitude, um DiskSat em uma órbita de 600 km pode reentrar em dois anos e meio.

FONTE: https://canaltech.com.br/espaco/discos-voadores-satelites-circulares-serao-testados-em-2024-219628/