fev 11

Curativo inteligente muda de cor e trata infecções bacterianas

A Organização Mundial da Saúde afirma que a resistência aos antibióticos é uma das maiores ameaças à saúde global. Detectar e tratar infecções bacterianas em seu início ajuda a melhorar a recuperação dos pacientes, além de conter a disseminação de micróbios. Cientistas da Academia Chinesa de Ciências inventaram um curativo inteligente capaz de diagnosticar infecções bacterianas mudando de cor. O curativo pode identificar as bactérias resistentes a antibióticos em feridas e liberar medicamentos para combatê-las.

Os pesquisadores chineses afirmam que a inovação pode proporcionar o caminho para o “uso racional” de antibióticos. O invento reduz o uso excessivo destes medicamentos, uma vez que a medicação tradicional é administrada como medida de precaução. As bactérias podem naturalmente se tornar resistentes aos antibióticos ao longo do tempo, como parte de seu processo evolutivo. No entanto, o uso indevido de drogas em humanos e animais está acelerando o processo. Assim, a invenção contribui para evitar o surgimento de novas bactérias resistentes a antibióticos.

Como funciona o curativo

Espectro de cores do curativo quando exposto a bactérias sensíveis (DS) e resistentes (DR) a antibióticos. (Fonte: ScitechDaily/Reprodução)

O invento dos chineses, quando aplicado diretamente nas feridas, detecta o microambiente ácido de uma infecção bacteriana e muda de cor do verde para o amarelo. Automaticamente, são liberados medicamentos que matam as bactérias sensíveis a antibióticos. Caso as bactérias sejam resistentes ao tratamento, o band-aid muda a cor para vermelho. Com isso, os pesquisadores podem aplicar uma luz especial sobre a área, fazendo com que o material libere espécies reativas de oxigênio. Estas substâncias matam ou enfraquecem as bactérias, permitindo que os antibióticos façam efeito.

A equipe demonstrou que band-aid inteligente poderia acelerar a cicatrização de feridas em camundongos infectados por bactérias sensíveis ou resistentes a tratamentos. Os pesquisadores afirmam que os métodos tradicionais são limitados porque consomem tempo e exigem instrumentos caros. Dado o baixo custo e a fácil operação deste dispositivo, os chineses afirmam que o curativo pode ser desenvolvido para aplicações práticas.

FONTE: MUNDO CONECTADO