fev 28

Creditoo dá crédito consignado por Whatsapp e prevê crescer 1300% em 2019

Luiz Bettega (em pé, à esquerda) e Ramires Paiva (sentado, à direita), fundadores da fintech Creditoo, querem levar o benefício para empregados de empresas privadas

Crédito consignado, no Brasil, tornou-se quase sinônimo de benefício para funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS. Cerca de 95% da carteira total neste modelo é destinado a pessoas nessas situações. A fintech Creditoo surgiu para mudar o cenário. A startup oferece crédito consignado a funcionários de empresas privadas, com taxas bem abaixo das praticadas em empréstimos pessoais ou cheque especial.

Atualmente, a Creditoo conta com mais de 600 empresas parceiras. Empregados delas podem, por meio de uma rápida conversa com um “robô” no WhatsApp, levantar até R$ 50 mil em crédito consignado – em que as parcelas são descontadas diretamente no salário. O limite e a quantidade de prestações são customizados para cada empresa.

Nesse sentido, as empresas podem oferecer o Creditoo como um benefício a mais para os empregados, tornando-se mais atraentes na hora de recrutar. Ramires Paiva e Luiz Bettega, fundadores da fintech, explicaram à StartSe como funciona o modelo de negócio: “Quando a gente criou a operação, quis efetivamente ajudar pequenas e médias empresas, por que elas não têm acesso a esse tipo de produto. Os mais prejudicados são os funcionários, que acabam sendo penalizados com as piores taxas do mercado”.

O mercado do consignado

“Vimos nos últimos dez anos um crescimento absurdo do crédito consignado, impulsionado muito pelo setor público, aposentados e pensionistas”, explica Paiva. Neste panorama, a Creditoo surgiu para aumentar a “fatia” das empresas privadas nesse “bolo” – que hoje corresponde a pouco mais de 5%.

A fintech, fundada em 2016, passou por duas rodadas de investimentos e tem como investidor anjo Sergio Furio, CEO da Creditas. No ano passado, foram desembolsados pela Creditoo pouco menos de R$ 15 milhões em crédito consignado. A equipe triplicou na virada para 2019, mas a meta de crescimento foi ainda mais ousada. A startup quer dar R$ 200 milhões para pessoas físicas, o que configura um aumento de mais de 1300%.

Para o futuro mais distante, não há planos de lançar novos produtos. Ramires e Luiz vêem o mercado de crédito consignado com enorme potencial de crescimento e um ambiente interessante para fintechs no país. “Está vindo muita gente com tecnologia e produtos que funcionam e são mais eficientes que os da estrutura bancária anterior”, diz Paiva.

Risco na rede privada

Dar crédito consignado a aposentados e servidores públicos carrega um risco baixo, pois há uma garantia estatal de que, todo mês, o dinheiro cai na conta do beneficiário. E, portanto, uma parcela desse montante é paga automaticamente à instituição financeira. Em empresas privadas, existem variáveis que podem desvincular um determinado empregado e, assim, cessar os pagamentos.

“Com certeza se você compara os riscos, o do consignado público, para aposentados e pensionistas, é menor. Isso não quer dizer que você não consiga fazer um produto eficiente para funcionários de empresas privadas, que é o que a gente faz”. diz Paiva. “Mas temos dados suficientes para estimar quanto do valor vai se tornar um empréstimo pessoal se funcionários se desvincularem das empresas parceiras. Nesses casos, temos que cobrar as parcelas diretamente da pessoa”.

Luiz Bettega ressalta que não existem barreiras para empresas que queriam se tornar parceiras da Creditoo. Não há blacklist ou áreas de trabalho. Inclusive, pessoas negativadas podem obter crédito consignado, com limites pouco mais baixos.

Por que WhatsApp?

“O Whatsapp é uma ferramenta que independe de navegador”, afirma Ramires Paiva. Atualmente, 98% dos smartphones no país acessam diariamente o aplicativo de mensagens. Portanto, ele mostrou-se o melhor canal de comunicação para facilitar as vendas.

A Creditoo utiliza um “robô”, algoritmo de inteligência artificial, que conversa com os usuários pelo WhatsApp. Portanto, todo o processo de aprovação do crédito pode ser automatizado. “Temos dados de que o tempo total para obter o crédito diminui”, ressaltam os fundadores.

FONTE: STARTSE