out 22

Coworking traz vantagens, mas deve ter regras de convivência

Nem tudo é perfeito quando várias pessoas compartilham um espaço. O barulho excessivo, por exemplo, pode prejudicar quem precisa se concentrar.

Nem tudo é perfeito quando várias pessoas compartilham um espaço. É preciso seguir algumas regras de convivência para que tudo corra bem

Tendência crescente no Brasil, os escritórios de coworking são ambientes compartilhados entre trabalhadores autônomos, que dividem despesas como água, luz, internet e telefone. Segundo o Censo Coworking 2018, só no Brasil já são 1.194 espaços desse tipo, por onde circulam mais de 214 mil pessoas, unidas diante do propósito de compartilhar ideias em um ambiente moderno.

Acontece que, trabalhar em um lugar cheio de gente nem sempre é a melhor opção para quem precisa de silêncio para se concentrar. É preciso saber lidar com o barulho de conversas, pessoas digitando, falando ao telefone e vários outros ruídos comuns ao ambiente de trabalho.

Para quem já está acostumado, é fácil manter o foco em um lugar assim. Para outras pessoas, no entanto, se concentrar em meio ao barulho pode ser um enorme desafio. A especialista em recursos humanos Ana Carolina Verdi Braga diz que o importante é saber respeitar o espaço do outro. Dessa maneira, todos conseguem conviver harmoniosamente em um mesmo ambiente. “Temos de ter ‘regrinhas’ básicas de convivência. É importante saber que o ambiente não é só seu”, explica.

O empresário Beto Braga, 52 anos, um dos pioneiros do coworking em Rio Preto, relata uma situação que quase fugiu do controle. “Tivemos um coworker [como são chamadas as pessoas que trabalham neste espaço] que falava muito alto ao telefone. Eu avisei que ele precisava respeitar os outros”, conta. Beto diz ainda que apenas o aviso não foi suficiente. O coworker voltou a falar alto e teve de ser colocado em uma sala individual para não atrapalhar outros trabalhadores.

O coworking em Rio Preto

Ana Carolina destaca que, diferentemente dos Estados Unidos, onde os ambientes de coworking são totalmente abertos, boa parte dos espaços desse tipo em Rio Preto ainda valorizam muito o espaço individual. “Cada um tem sua sala e as pessoas dividem algumas coisas, como a sala de reunião, por exemplo. Nos grandes centros, como São Paulo, os escritórios já se aproximam mais do modelo original, com todos trabalhando em uma única mesa”, finaliza.

Foi nesse modelo, visto durante uma viagem aos Estados Unidos em 2012, que Beto se inspirou para montar seu espaço. “Minha família tinha um imóvel parado e eu acabei ocupando para tentar criar uma cultura diferente do convencional aqui em Rio Preto”, disse o empresário.

Para ele, uma das principais vantagens de trabalhar em um coworking é a possibilidade de fazer novos contatos profissionais, o que abre portas para mais negócios. “Outra vantagem é que você sempre encontra alguém com visão diferente”, destaca. Ele também cita a redução de custos. “Se você for montar um escritório, contratar recepção, acaba tendo um custo mais alto”, finaliza.

FONTE: DIÁRIO DA REGIÃO