out 02

Consumidores de água de Taboão da Serra vão receber medidores inteligentes a partir de 2020

De acordo com a Sabesp na região serão instalados aproximadamente 1.500 pontos com hidrômetros inteligentes. A previsão de início de implantação é o primeiro semestre do ano que vem

100 mil hidrômetros inteligentes serão instalados nos maiores clientes da Grande São Paulo, que terão medições feitas a distância

A  Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) iniciou nesta terça-feira, dia 1º, a implementação de hidrômetros inteligentes na região metropolitana do Estado, através da tecnologia IoT, a Internet das Coisas, para medir o consumo de água de seus clientes à distância. Serão instalados 100 mil medidores de água em estabelecimentos de clientes com consumo superior a 500 metros cúbicos, como shoppings, indústrias e grandes condomínios, que passarão a ter seu consumo medido diariamente de maneira remota. Em Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra os hidrômetros inteligentes serão instalados no primeiro semestre de 2020.

“A Sabesp informa que, em Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra, haverá aproximadamente 1.500 pontos com hidrômetros inteligentes. A previsão de início de implantação é o primeiro semestre de 2020”, informou em nota.

A tecnologia IoT, do termo em inglês Internet of Things, permite a conexão entre dispositivos do nosso dia a dia (como geladeiras, fechaduras, câmeras de segurança e TVs) à internet. A comunicação entre esses objetos é feita por meio de sensores e programas de computador.

Trata-se de uma iniciativa pioneira na área de saneamento, que traz inovação e eficiência para o setor. De baixo custo, a IoT vai reduzir perdas de água (o que contribuindo para o meio ambiente), além de combater fraudes e melhorar o relacionamento com os clientes.

Outra novidade é a contratação por desempenho: o fornecedor opera o sistema e é remunerado com base na comunicação dos dados.

No projeto-piloto, em operação desde maio de 2018, foram instalados hidrômetros inteligentes em 500 pontos. Nessa etapa, a Sabesp pôde verificar, por exemplo, anomalias de consumo. Foi o caso de uma escola em São Paulo, que se livrou de um vazamento (e do prejuízo que ele causava) após ser detectada alta incomum de consumo no período noturno.

A implantação na Grande São Paulo será gradativa ao longo de 12 meses em consumidores como shoppings, condomínios e indústrias.

Além de ganhos para a Sabesp, as redes IoT impactarão no modo como o cliente se relaciona com seu consumo, sua conta e com a própria companhia. O próximo passo é disponibilizar as medições diretamente para o consumidor, por meio do aplicativo Sabesp Mobile. Isso vai possibilitar que ele faça a gestão diária de seu consumo (em vez de mensal) e verifique com muito mais facilidade eventuais aumentos e reduções do gasto.

FONTE: otaboanense.com.br