ago 18

Como a Nuvemshop captou R$ 2,6 bilhões e virou unicórnio

Com aporte, startup se torna a quinta mais valiosa da América Latina. Entenda o negócio e as motivações dos investidores.

Por Victor Marques

Nuvemshop, plataforma de e-commerce que já conta com mais de 90 mil lojas online, recebeu novo investimento de R$ 2,6 bilhões (US$ 500 milões) e, assim, se torna o mais novo unicórnio no Brasil. A companhia agora é avaliada em US$ 16 bilhões – a quinta startup mais valiosa da América Latina. O investimento também representa o terceiro maior recebido neste ano por uma startup da região.

A rodada de Série E  foi liderada pelos fundos Insight Partners, investidor do Twitter e do Alibaba, e Tiger Global Management, que já investiu no Uber e Spotify. Além deles, participaram da rodada Alkeon, Owl Rock, Sunley House Capital, VMG Partners, Accel, Kaszek, Kevin Efrusy, Qualcomm Ventures LLC e ThornTree Capital.

INVESTIMENTOS RECORRENTES

Além do tamanho do aporte, chama a atenção a velocidade com que a Nuvemshop recebe novas rodadas: a rodada de Série C ocorreu em outubro de 2020 e a de Série D em março de 2021. Somadas à rodada atual, os aportes totalizaram mais de R$ 3,2 bilhões recebidos num período de apenas dez meses.

Para quem observa de fora e não conhece muito do mundo das startups, pode parecer que a empresa está queimando dinheiro e precisando de novas rodadas frequentemente. Mas não é essa a dinâmica do Venture Capital: os fundos buscam aportar justamente nas startups com grande possibilidade de crescimento – para acelerar ainda mais – e nem sempre o interesse por novas rodadas parte da startup, ou de uma necessidade de capital.

Esse foi o caso da Nuvemshop, a startup estava capitalizada, ou seja, não precisava de mais dinheiro para tocar o negócio. Mas, os fundos de investimento não paravam de chegar, com aproximações ocorrendo semanalmente. Segundo a startup, ter mais capital vai possibilitar a sofisticação e velocidade de implementação do roadmap.

CRESCIMENTO ACELERADO

Nuvemshop foi fundada em 2011 na Argentina, mas estabeleceu raízes no Brasil – que se tornou seu principal mercado – em 2012. Desde o início, a startup encurta o caminho para que pequenos e médios lojistas coloquem suas lojas online em operação, oferecendo desde infraestrutura, até meios de pagamento e soluções de logística.

O crescimento explodiu a partir de março de 2020, quando a procura pelos serviços da startup aumentou dramaticamente. A pandemia fez com que, de janeiro a dezembro de 2020, a empresa saltasse de 25 mil lojistas para mais de 70 mil – hoje já são mais de 90 mil clientes na LatAm, além de Brasil e Argentina, a startup também já atua no México.

PRÓXIMOS PASSOS

O investimento deve acelerar ainda mais o crescimento, um dos principais avanços deve ser a oferta de novas soluções financeiras que serão oferecidas em conjunto com players do ecossistema ainda em 2021. O lado fintech da startup já estava em testes desde o início do ano e a intenção é “reforçar o nosso conceito de colocar nosso cliente (varejista, empreendedor) no centro, entender quais são efetivamente os principais pontos de atrito deles – como facilidade na gestão, taxas, parcelamentos e fraudes -, e desenvolver a solução em conjunto.”, segundo Sosa, CEO e cofundador.

Além das novas soluções financeiras pensadas para o mercado brasileiro, a Nuvemshop também seguirá investindo no lançamento de outros produtos e categorias que acrescentem ainda mais valor para seus clientes. Um dos pontos que deve receber atenção é a logística, para acelerar as evoluções na área, a startup já planeja realizar M&As (fusões e aquisições) com outras empresas.

Outro objetivo desafiador é diminuir a dependência dos lojistas dos marketplaces estabelecidos, como AmazonMagalu e Americanas. Para isso, a startup pretende “oferecer ainda mais recursos, sejam eles próprios ou por meio do nosso ecossistema, para que marcas de todos os tamanhos se conectem diretamente aos seus consumidores, dando controle ao lojista sobre seus canais de venda e oportunidade de fortalecer sua marca”, completa Sosa.

O investimento também deve impulsionar a expansão internacional da Nuvemshop para outros países da América Latina: a previsão é de que comece a operar na Colômbia ainda neste ano, com Chile e Peru programados para 2022. Apesar da internacionalização, o objetivo é contar com uma operação local em cada país, assim como já ocorre no Brasil, México e Argentina – com profissionais locais contratados, uma estratégia para compreender melhor as especificidades do mercado de cada país.

POR QUE IMPORTA?

O objetivo da Nuvemshop é crescer 20 vezes em 5 anos. Para atingir a meta, além de novos produtos, expansão internacional e aquisições, a empresa deve aumentar ainda mais o número de colaboradores. Nos últimos 18 meses o volume de profissionais contratados quadruplicou – hoje já são mais de 600 pessoas – e a startup prevê passar dos 1,5 mil colaboradores até o final de 2022.

Crescer aceleradamente e oferecer uma solução escalável são alguns dos pré-requisitos para uma startup de sucesso. Com o olhar de fundos experientes identificando o potencial de atingir ambos, a Nuvemshop comprova a força da inovação das startups da região.

O investimento demonstra a solidificação da América Latina como uma importante região para investimentos em inovação. Segundo Matt Gatto, Managing Director da Insight Partners, “com 650 milhões de consumidores, a América Latina é o mercado de comércio eletrônico que mais cresce no mundo. Ao oferecer sua plataforma desenvolvida especificamente para a região, a Nuvemshop está posicionada de maneira única para continuar a liderar a transformação digital”.

FONTE: https://app.startse.com/artigos/nuvemshop-vira-unicornio