set 05

Clonagem de eucaliptos aumenta a produtividade na silvicultura

Inovador e sustentável, o Programa de Melhoramento Genético da Eldorado Brasil permite o desenvolvimento de materiais genéticos adaptadas às particularidades de suas áreas de atuação.

Empresas de todo o mundo, e dos mais diversos setores, têm investido esforços no desenvolvimento de soluções que permitam ampliar a produtividade e, ao mesmo tempo, mitigar os impactos ambientais.

No setor de celulose, o destaque fica por conta da Eldorado Brasil, que adota uma abordagem inovadora e comprometida com a sustentabilidade na produção de clones de eucalipto. Por meio de tecnologia avançada, pesquisa e biotecnologia, a companhia encontra no melhoramento genético a solução para superar desafios locais além de garantir produtividade, eficiência e responsabilidade ambiental.

Segundo Sharlles Christian Moreira Dias, Gerente de Tecnologia e Competitividade da Eldorado Brasil, o eucalipto não é uma espécie nativa do Brasil, e são mais de 800 espécies conhecidas, a maior parte delas de origem na Australia, Indonésia e região de Timor. “Porém, apesar deste elevado número, nem todas têm aptidão para usos comerciais. Desta forma, ao longo dos últimos 50 anos, as inovações começaram no entendimento e resgate das espécies e procedências mais adaptadas para as condições de solo e clima brasileiros. Para isto, sementes foram coletadas nas regiões de origem e plantios experimentais foram realizados praticamente em todas as regiões do país, para que as melhores fossem selecionadas”, ele explica.

 

O Programa de Melhoramento Genético

É com base nesse conceito que a empresa vem desenvolvendo, desde a sua fundação, o Programa de Melhoramento Genético (PMG), que busca selecionar e cruzar organismos com características desejáveis para criar descendentes com características aprimoradas. “O objetivo principal é a geração contínua de materiais genéticos de alto potencial produtivo, adaptados as condições de solo e clima locais, mais tolerantes aos ataques de pragas e doenças e que possuam características da madeira adequadas a produção de celulose. A partir destas particularidades, o melhorista realiza cruzamentos entre indivíduos que possuem os atributos complementares e os filhos obtidos a partir deste crescimento são transformados em mudas e plantados em testes de campo”, conta Sharlles.

Ao longo do crescimento das plantas, são realizados acompanhamentos constantes e medições anuais para verificar a performance e o crescimento destas mudas. As melhores, ou seja, aquelas que demonstrarem ter herdado as características desejadas, serão clonadas para a fixação destes atributos e ampliação em escala da quantidade de mudas. “Hoje esta é a técnica mais utilizada para a produção e comercialização de mudas de eucalipto no Brasil”, ele ressalta.

 

Abordagem sustentável

Com dimensões continentais e grande variação de solos, climas e altitudes, o Brasil conta com ambientes completamente diferentes. Justamente por isso o melhoramento genético é considerado sustentável: realizado de forma regionalizada, permite que os novos clones selecionados estejam adaptados às particularidades de cada local. “Outro ponto importante é que o melhoramento genético é dinâmico e nos permite adaptações de acordo com as variações climáticas. Esse aspecto é importantíssimo no enfrentamento de desafios como aumentos de temperaturas, alterações dos regimes de chuva e déficit hídrico”, ressalta Sharlles.

 

Eldorado Brasil: um case de mercado global

Anualmente a gigante na produção de celulose investe maciçamente em pesquisas e desenvolvimentos para geração de novos clones e aprimoramento do manejo florestal. Isto demonstra o quanto a companhia está comprometida na busca de soluções inovadoras que permitam ampliar sua produtividade e eficiência, sem abrir mão da sustentabilidade.

A principal matéria prima do melhoramento genético é a diversidade genética, e na Eldorado Brasil, esta base está em expansão desde sua fundação, totalizando 39 espécies puras de Eucalyptus e 11 de Corymbia, e uma rede experimental robusta com 194 experimentos ativos. Somente no ano passado, foram plantadas 755 progênies (combinações genéticas entre espécies) puras e híbridas e 534 clones em áreas experimentais. Até o momento a companhia possui cinco clones protegidos no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os nomeados ELD’s (ELD001, ELD002, ELD0004, ELD0005 e ELD0006), selecionados e adaptados às suas diversas áreas, e que só podem ser produzidos e plantados por ela.

Em 2022, ano em que a Eldorado Brasil completou 10 anos de existência, a base produtiva florestal atingiu a marca de 267,3 mil hectares de áreas produtivas com eucaliptos destinadas para a produção de celulose, acumulando também mais de 60 milhões de m³ adquiridos do mercado florestal. Nesse período foram plantadas mais de 300 milhões de árvores de eucalipto em áreas próprias e arrendadas, além de 117 mil hectares de áreas de preservação e conservação. Essa expansão veio acompanhada de investimentos em tecnologia que facilitaram as operações e a tomada de decisão da companhia. Dos 2500 clones já testados na empresa, 157 foram selecionados para fazer parte da opção de materiais genéticos a serem plantados a cada ano, nas mais de 300 fazendas espalhadas no estado de MS.

 

Tecnologia de última geração

Investimento em um time multidisciplinar capacitado, em equipamentos de ponta, laboratórios especializados, além de parcerias com institutos, centros de pesquisas e universidades definem a abordagem da Eldorado.

O desenvolvimento de clones elite é um processo complexo e longo, são necessários mais de 12 anos, e envolve pesquisas nas áreas de melhoramento genético, melhoramento computacional e biotecnologia, que aplicam conceitos de genética na análise de toda a rede experimental. “Todo este avanço somente é possível devido a uma equipe comprometida, determinada e responsável por todo este acompanhamento ao longo dos anos até a obtenção dos clones. Atualmente cerca de 40 pessoas participam de todas as etapas do melhoramento genético”, informa Brígida Valente, Coordenadora da área de Melhoramento e Biotecnologia.

As áreas de melhoramento genético da Eldorado estabelecem análises de interação entre o genótipo e o ambiente, constroem os agrupamentos clonais e emitem a Recomendação Genética de Plantio em cada ano. Através deste mapeamento é possível indicar a melhor alocação clonal, ou seja, o melhor clone para cada área de plantio comercial, de forma a potencializar a máxima produtividade.

Já a área de biotecnologia florestal auxilia o PMG com a inserção de ferramentas inovadoras e aceleração da obtenção de clones elite a partir da caracterização dos materiais genéticos, garantindo a otimização das estratégias de melhoramento.  O objetivo é a redução do tempo necessário à produção de novos clones.

Vale ressaltar que após serem lançados operacionalmente, a Eldorado Brasil ainda desenvolve todo o pacote de recomendações técnicas que envolvem as adubações, espaçamentos e demais atividades para que este novo clone possa expressar o potencial máximo genético. Tudo isso para alcançar a maior produtividade e a preservação ambiental.

Sobre a Eldorado Brasil: uma das maiores empresas de celulose do mundo, foi inaugurada em 2012, na cidade de Três Lagoas (MS), e produz mais de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano. Detêm todos os selos internacionais de qualidade, tem mais de 5.300 funcionários e exporta sua produção para mais de 40 países.

FONTE: https://www.cnnbrasil.com.br/branded-content/nacional/por-eldorado-clonagem-de-eucaliptos-aumenta-a-produtividade-na-silvicultura/