out 03

Cientistas japoneses prometem salvar vidas com sangue artificial

O problema com a falta de sangue em hemocentros pode acabar em breve. É o que a equipe de cientistas da National Defense Medical College (NDMC), no Japão, espera ao desenvolver um tipo de sangue artificial que pode ser usado em qualquer paciente, independente do tipo sanguíneo.

 Extremamente útil nos casos em que um determinado tipo de sangue não esteja disponível na região, a invenção ainda não foi testada em humanos. No entanto, já provou sua eficácia em experimentos com coelhos.

Em testes laboratoriais, 10 coelhos com hemorragia induzida por trauma receberam transfusão de sangue artificial. Do total, seis deles sobreviveram, em uma proporção de vida que é comparável à dos coelhos tratados com sangue real, segundo a equipe da NDMC.

Glóbulo vermelho em superzoom

O sangue artificial é composto por plaquetas e glóbulos vermelhos que podem ser armazenados com segurança à temperatura ambiente por mais de um ano. As plaquetas garantem que o sangue possa coagular, estancando sangramentos, enquanto os glóbulos vermelhos garantem que o oxigênio chegue aos órgãos vitais.

De acordo com o artigo da equipe da NDMC, publicado na revista médica americana Transfusion em julho de 2019, o sangue pode ser usado para tratar pacientes antes mesmo de chegarem ao hospital, já que seu tipo sanguíneo não precisa ser confirmado antes das transfusões, o que resulta em maior taxa de sobrevivência.

“É difícil armazenar uma quantidade suficiente de sangue para transfusões em regiões como ilhas remotas”, como é o caso do Japão, afirma Manabu Kinoshita, professor associado de imunologia da NDMC e co-autor do artigo. “O sangue artificial será capaz de salvar a vida de pessoas que de outra forma não poderia.”

FONTE: CANAL TECH