out 14

Cientistas inventam tecnologia capaz de imprimir mensagem invisíveis

Uma equipa de cientistas criou uma tecnologia reutilizável que consegue imprimir mensagens invisíveis que apenas conseguem ser vistas com luz ultravioleta.

 Não é magia. As mensagens são imprimidos com água num papel revestido com produtos químicos com manganésio. O conteúdo da mensagem fica invisível a olho nu, conseguindo apenas ser visto com recurso a uma luz ultravioleta. É também possível apagá-la, usando apenas um simples secador de cabelo durante 15 segundos.

Num ambiente natural, a mensagem aguenta três meses até desaparecer. “As fugas de informação tornaram-se um problema global com consequências terríveis, incluindo guerras e graves problemas económicos e sociais”, lê-se no estudo publicado esta quarta-feira na revista científica Matter.

Na opinião dos investigadores chineses, é crucial encontrar novas maneiras de enviar com segurança mensagens imprimidas. “Embora os media eletrónicos se tenham tornado indispensáveis nas nossas vidas, o papel ainda é o meio mais difundido para o armazenamento de informações, e muitos documentos importantes ainda estão em papel”, explicam, citados pelo The Guardian.

Uma alternativa semelhante a esta invenção é imprimir mensagens com tinta fluorescente — que também só podem ser vistas com luz ultravioleta. Contudo, o único problema é que estas não podem ser apagadas e o papel não pode ser reutilizado da mesma forma que a tecnologia dos chineses permite.

Até ao momento, os cientistas conseguiram reutilizar o papel 30 vezes até que este se tornasse inutilizável. Os especialistas acreditam que se conseguirem encontrar um bom substituto para o papel de filtro, conseguem aumentar o número de reimpressões. O preço é também uma mais valia, já que cada impressão fica pelo preço de uns meros cêntimos.

A equipa foi mais longe ainda e desenvolveu uma abordagem ainda mais sofisticada que permite codificar mensagens. O processo envolve imprimir uma série de números com tintas diferentes de manganésio. Cada uma destas tintas emite luz durante um período distinto após ser iluminada. Isto permite codificar uma ordem de acordo com a altura em que o número é revelado pela luz.

“Este método de descriptografar informações possui um nível de segurança extremamente alto e pode ser promissor nos domínios militar e económico“, disse a equipa.

FONTE: ZAP