fev 27

Cientistas desenvolvem primeira córnea humana feita em uma impressora 3D

A descoberta pode diminuir a fila de 15 milhões de pacientes que aguardam um doador

Pesquisadores da Universidade Newcastle, no Reino Unido, conseguiram desenvolver a primeira córnea humana feita em uma impressora 3D. O objetivo é evitar a dependência de um doador, podendo “fabricar” uma córnea nova para um paciente. A pesquisa estima que cerca de 15 milhões de pessoas em todo o mundo esperam por uma doação de córneas atualmente.

A córnea é a parte transparente que fica na camada mais externa do olho. Ela é responsável por permitir a entrada da luz, além de focar em objetos ou cenas. No transplante, essa “película” doente é removida e a saudável é colocada em seu lugar.

Para conseguir desenvolver uma córnea “artificial” os cientistas, Steve Swioklo e Che Connon, criaram um material específico para a impressora 3D poder imprimir um órgão. Foi feito uma mistura com alginato e colágeno, junto com células tronco de uma córnea de um doador saudável. Esse gel desenvolvido é chamado de “bio-tinta”.

O professor Che Connon, que liderou a pesquisa para o desenvolvimento da tinta, explica como é o processo. “Nosso gel mantém as células vivas enquanto produz um material que é duro o suficiente para manter a forma, mas macio o suficiente para ser espremido no bico de uma impressora 3D.”

Essa pesquisa prova que o desenvolvimento de órgãos em laboratórios é viável. Apesar de ser uma notícia animadora, principalmente para os pacientes que esperam em uma longa fila de doadores, a córnea ainda não está pronta para ser testada. É necessário que uma série de testes sejam feitos para verificar a sua segurança.

Com a divulgação da descoberta, outros cientistas que também trabalham no desenvolvimento de pesquisas semelhantes podem colaborar. Assim, a conclusão da possibilidade de imprimir uma córnea em uma impressora 3D e transplantar para alguém que corre o risco – ou já está -, cego, parece cada vez mais próximo.

O estudo foi publicado em fevereiro de 2020, na revista Experimental Eye Research. Ainda não houve testes de transplante com animais, ou humanos. Ainda deve levar alguns anos para que seja possível implantar uma córnea 3D em um humano.

FONTE:MC