jul 29

China promete crescimento de energia limpa enquanto Europa retorna ao carvão

A China pretende começar a cortar o uso de carvão a partir de 2026.

Getty Images
A China pretende expandir uso de energia eólica, solar, nuclear e hidrelétrica. 

A transição para energia limpa na China continuará apesar dos desafios à segurança energética global representados pelo conflito na Ucrânia e um retorno ao carvão na Europa, e o país continua no caminho certo para cumprir suas metas de emissão de carbono, disseram autoridades do setor de energia hoje (27).

A China, maior consumidor de energia e emissor de gases do efeito estufa do mundo, está pronta para expandir a fatia de energia de combustíveis não-fósseis no consumo geral por uma média de 1% ao ano até 2030, disse Zhang Jianhua, diretor da Administração Nacional de Energia, em entrevista coletiva em Pequim.

“Sob as condições apertadas de fornecimento de energia no ano passado e o retorno à energia de carvão em muitos países europeus, o desenvolvimento de energia de combustível não-fóssil em nosso país continuou inabalável”, disse Zhang.

Combustíveis não-fósseis, incluindo energia eólica, solar, nuclear e hidrelétrica, forneceram 16,6% das necessidades totais de energia da China no ano passado, acima dos 15,9% do ano anterior.

À medida que a guerra na Ucrânia abala os mercados globais de energia, levando os preços do gás natural e do carvão térmico a máximas recordes, a China enfatiza repetidamente a importância da segurança energética, levantando preocupações de que poderia retroceder nas metas climáticas.

A China pretende começar a cortar o uso de carvão a partir de 2026, com o presidente Xi Jinping dizendo em março que o país não pode simplesmente “travar os freios” no consumo.

FONTE: https://forbes.com.br/forbesesg/2022/07/china-promete-crescimento-de-energia-limpa-enquanto-europa-retorna-ao-carvao/