out 22

Carregamento rápido de carros elétricos vai ser pago e já a partir de Novembro

Se tem carro elétrico, prepare a sua carteira, pois a partir de 1 de novembro de 2018 vai passar a pagar para o carregar nos pontos de carregamento rápido.

Quem tem carro elétrico já sabia de antemão que não iria ter carregamentos rápidos gratuitos para sempre, assim, a partir de 1 de novembro de 2018, os carregamentos na rede MOBI.E vão passar a ser taxados.

O anúncio data à Lisbon Mobi Summit, que se realizou a meio de setembro de 2018, por parte do secretário de Estado do Ambiente, José Gomes Mendes, isto depois de vários adiamentos sobre as cobranças!

Tarifas aplicadas nos pontos carregamento rápido

Este assunto não é novo, e já era para ter sido aplicado em julho de 2017, mas foi adiado sucessivamente, sendo que agora é certo que a 1 de novembro de 2018 passa a ser cobrada a tarifa pelo carregamento na rede MOBI.E!

Quanto ao valor da tarifa a cobrar nos pontos de carregamento rápido, ainda não há valor certo. Espera-se até final do mês que estes valores sejam conhecidos.

Quem está por dentro do assunto, neste caso, Henrique Sanchez, Presidente da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, diz…

QUE OS CONSUMIDORES IRÃO PAGAR ENTRE 5 E 10 EUROS POR CADA 100KM!

Um valor que é cerca de dez vezes mais caro do que se carregarmos as bateriasem nossa casa…

O que é a rede MOBI.E?

A MOBI.E é uma rede de postos de carregamento rápido para carros elétricos. Estes pontos de carregamento rápido estão localizados em locais públicos, sendo geridos pelos municípios, se bem que também há entidades privadas a entrar no mercado.

Estes permitem o carregamento rápido das baterias dos vários veículos elétricos que circulam em Portugal. A rede MOBI.E tem mais de 400 postos de carregamento e até final do ano, o Governo pretende instalar ainda mais 100 postos, sendo que até março de 2019 espera-se que o total seja de mais de 700 postos de carregamento desta rede!

Quem tem pago até agora os carregamentos das baterias?

Apesar de ainda não serem pagos, a eletricidade que muitos consumidores usam nestes postos de carregamento rápido tem sido financiada por algué

Segundo fontes de várias empresas, até ao momento, ou melhor, até novembro de 2018, têm sido as empresas fornecedoras de energia a comportar os custos.

E é por já estarem “fartas” de prejuízos que esta notícia é um alívio para eles… pois mensalmente a fatura destes postos de carregamento ascende a 29 mil euros por mês!

FONTE: PORTAL ENERGIA