out 01

Buser cresce com viagens de ônibus fretados entre 40 cidades do país

Em entrevista ao Poder360, Marcelo Abritta destaca que a Buser acrescenta alternativas para o consumidor

Viajar de ônibus é, há muito tempo, a opção mais barata para se deslocar pelo país. Até recentemente, seria improvável que uma disputa nesse mercado baixasse ainda mais os preços. Há 2 anos, porém, surgiu uma empresa que oferece ligações entre cidades por valores bem mais em conta. A Buser tem uma plataforma tecnológica para alugar os coletivos em viagens intermunicipais e interestaduais. E consegue fazer isso com custo 50% a 60% menor do que as companhias que vendem passagens nas rodoviárias, disse Marcelo Abritta, fundador e CEO da empresa, em entrevista ao Poder360.

Assista à íntegra (29min30s):

A empresa atende a 40 cidades no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Transporta 1.600 passageiros por dia, número que vem crescendo até 10% por semana –os números exatos, porém, não são revelados pela empresa. A meta é chegar a todas as regiões em 1 ano. O grande salto veio em março do ano passado, com 1 aporte financeiro de investidores que permitiu incrementar as ações de marketing, tornando a plataforma conhecida e vencendo a resistência de consumidores. “Esse mercado por muito tempo não teve mudança, então as pessoas ficavam desconfiadas, achavam que o ônibus era de má qualidade”, disse.

A Buser enfrenta ações judiciais de operadoras do transporte de ônibus intermunicipais e interestaduais, que dizem existir irregularidade no serviço da empresa de tecnologia. O argumento é que as ligações entre as cidades são licitadas. “Essas ações são semelhantes às que o Uber sofreu por parte de taxistas. No caso dos ônibus, o fretamento sempre existiu. O que não havia era alternativa digital”, afirmou.

Abritta destacou que algumas empresas de transporte agora estão começando a oferecer um serviço idêntico ao da Buser. “Isso mostra que não há nada de errado com o que a gente faz. E acrescenta alternativas para o consumidor. É ótimo”, disse.

O fundador da Buser disse que com o sistema digital é possível mobilizar mais pessoas para as viagens, que só são confirmadas quando se atinge o número mínimo necessário de ocupantes para os ônibus. Além disso, a checagem de documentos e antecedentes criminais dos inscritos é mais rápida. “A tecnologia tem esse poder. Você resolve uma vez e está resolvido para sempre”.

A empresa estuda agora criar 1 convênio com empresas de transporte individual, para que tenha 1 carro esperando pelo passageiro no destino, caso ele opte pelo serviço. O Buser usa, em vez de rodoviárias, estacionamentos e postos de gasolina. Abritta afirmou que isso é uma vantagem, pois permite às pessoas escolher diferentes pontos de embarque e desembarque na cidade de origem e na de destino. Outra mudança em cogitação é usar o espaço disponível nos ônibus para transportar cargas. “Isso poderá reduzir o valor que o cliente paga para viajar”, disse.

A Buser não pretende fazer oferta pública de ações na bolsa por ora. Em vez disso, prefere contar com investidores. “Capital não é problema para nenhum projeto de qualidade no Brasil hoje”, disse.

FONTE: PODER 360