out 09

Brasileiros criam tecnologia que melhora a qualidade dos queijos

Pesquisa feita pela Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais, já gerou pedido de patente

Pesquisadores da UFLA – Universidade Federal de Lavras – desenvolveram uma tecnologia que usa leveduras (organismos unicelulares microscópicos) para melhorar a qualidade dos queijos.

O estudo faz parte do Programa de Pós Graduação em Microbiologia Agrícola da Universidade. Esse tipo de trabalho é inédito no Brasil e também estuda o papel probiótico desses microrganismos para os consumidores.

A pesquisa foi bem longa, tendo início em 2014, quando a doutoranda Rafaela Pereira Andrade visitou à região da Serra da Canastra – conhecida pela produção de queijos artesanais – para coletar amostras de um queijo como referência. No laboratório, as leveduras foram isoladas, identificadas e caracterizadas por seus aspectos tecnológicos. A partir disso, foram produzidos diversos lotes de queijos com essas leveduras.

doutoranda explica o processo, “no meu mestrado as leveduras foram isoladas do processo de produção do queijo canastra. Em 2016, com início do doutorado, foram caracterizadas quanto ao seu potencial probiótico e também tecnologicamente. Foram então adicionadas no queijo de diversas formas e foi possível observar que essa adição das leveduras proporcionou um produto com melhor qualidade e aspecto sensorial. Elas produzem aroma e deixam o queijo com cheiro, sabor e textura melhores. Elas deixam o queijo mais saboroso”.

Quando as leveduras são adicionadas na amostra, causam um acréscimo de qualidade como aroma, sabor e textura. A melhoria no produto originou uma patente e três publicações em revistas de renome internacional.

pesquisadora explica que esse queijo, obtido em laboratório, é macio por dentro e com casca firme, bem similar ao queijo Canastra.

FONTE: OLHAR DIGITAL