maio 21

Brasil é o pior país para carros autônomos

Os carros autônomos estão como certeza no futuro a médio e longo prazo. A ideia da indústria automobilística atualmente é trabalhar de forma que os veículos fiquem cada vez mais elétricos e cada vez mais independentes.

Isso significa que veremos carros mais elétricos e mais autônomos nas estradas e ruas nos próximos anos. A década de 2020 deverá ser a responsável por essa mudança de paradigma. Quando chegarmos em 2029, será um mundo totalmente novo.

Menos no Brasil. Um novo relatório apontou que somos o país menos preparado do mundo para receber os carros autônomos.

Mas será mesmo? Vamos conferir a seguir!

O que o relatório diz sobre os carros autônomos no Brasil

A consultoria KPMG preparou um relatório com um índice para medir a prontidão de 25 países para receber carros autônomos no momento.

Essa não é a primeira vez que a empresa elabora esse relatório. No ano passado, o Brasil ficou na 17ª posição de 25 possíveis.

Nesse ano, a situação piorou muito: ficamos na última colocação. Dos 25 países analisados para receber carros autônomos, somos os últimos.

Segundo Maurício Endo, executivo da KPMG, a principal razão para o péssimo desempenho do Brasil no índice é que não há “programas de incentivo em veículos focados em eficiência, segurança e pesquisa”.

Por causa disso, o país amarga a lanterna do índice e indica que não receberá carros autônomos por um bom tempo.

Como esse relatório foi feito?

Para chegar a essa conclusão, a KPMG analisou diversos fatores para concluir quais países estão mais ou menos preparados para receber os carros autônomos no momento.

Um dos elementos analisados são os programas-pilotos do governo para que esse tipo de carro passe a funcionar no Brasil. Outra responsabilidade governamental seriam as agências que pudessem lidar com esse assunto. Nestes dois aspectos, o Brasil vai muito mal, segundo o relatório.

Outros parâmetros envolvem a preparação dos governos destes 25 países para lidar com mudanças nas suas frotas, eficácia de processos legais e de fazer alterações das leis.

Além disso, ainda é considerado a capacidade da indústria local, centros de tecnologias, investimentos, infraestrutura (Internet móvel e qualidade das estradas) e até a aceitação dos consumidores a esses carros.

No acumulado dos quesitos, o Brasil registrou a última posição do ranking, ficando atrás de países com economia e IDH semelhantes, como a Índia, México e Rússia.

Quem dominou o Ranking foi a Holanda, que ficou na primeira posição e é tida como o país mais preparado para os carros autônomos.

Em segundo lugar vem Cingapura, seguida de perto da Noruega. O país nórdico, aliás, é o único do mundo onde a venda de carros elétricos e híbridos já é maior que a venda de carros a combustão.

Os EUA aparecem na quarta posição, com a Suécia fechando o Top 5.

Quem surpreendeu negativamente foi o Japão. Tido como um dos maiores polos tecnológicos do mundo, além de ser a casa de algumas das principais montadoras do planeta, como a Honda, Nissan e Toyota, ficou apenas na 10ª posição do ranking.

Confira abaixo todos os 25 países avaliados:

  1. Holanda;
  2. Cingapura;
  3. Noruega;
  4. EUA;
  5. Suécia;
  6. Finlândia;
  7. Reino Unido;
  8. Alemanha;
  9. Emirados Árabes Unidos;
  10. Japão;
  11. Nova Zelândia;
  12. Canadá;
  13. Coréia do Sul;
  14. Israel;
  15. Austrália;
  16. Áustria;
  17. França;
  18. Espanha;
  19. República Checa;
  20. China;
  21. Hungria;
  22. Rússia;
  23. México;
  24. Índia;

FONTE:  4 P