nov 07

Brasil bate recorde de startups participantes na Web Summit 2022

Web Summit 2022 recebeu 71 mil participantes de mais de 160 países e mais de 70 startups e empresas brasileiras estiveram no evento.

A Web Summit 2022 em Lisboa bateu o recorde ao receber 71 mil participantes de mais de 160 países. E o Brasil acompanhou esta tendência ao ir para o maior evento de tecnologia do mundo – segundo a Forbes – com um número recorde de startups e empresas.

Presente nas edições da conferência desde 2018, a ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) levou para a capital de Portugal 57 startups e 13 empresas inovadoras com potencial para abrir operações em Portugal ou na Europa. O grupo foi formado por empresas dos mais diferentes setores econômicos e envolve fintechs, agritechs, healthtechs, iniciativas voltadas para a biotecnologia, tecnologia da informação, dados, entre outras. As companhias são de diversos estados de quatro regiões do país.

“A ApexBrasil vem trazendo empresas pra cá desde 2018 e neste ano vimos que existia um interesse ainda maior de empresas brasileiras querendo vir para o evento, participar, estar no ecossistema de inovação de Portugal. Consideramos que Portugal é um mercado que abre portas para a União Europeia e agente vê que as startups brasileiras estão muito interessadas neste mercado”, disse Clarissa Furtado, gerente de competitividade da ApexBrasil, em entrevista exclusiva para o Olhar Digital na Web Summit 2022.

O estande chamado “Pavilhão Brasil Inovador” foi, com certeza, uma das atrações do evento. O espaço de 225 metros quadrados conta com um palco e teve ‘pitches’ de startups, sessões com investidores, happy hours, e espaços para produção de podcasts e experiências interativas que utilizam tecnologias brasileiras.

“Houve uma demanda maior, abrimos as inscrições pensando em atender um número maior de empresas. Cerca de 150 empresas se inscreveram e selecionamos as 70 que vieram pra cá junto com a gente. Realmente uma delegação maior. Também aumentamos o espaço do nosso pavilhão para servir como ponto de encontro entre brasileiros e investidores portugueses, europeus e de outros países”, completou Clarissa Furtado.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a definição de startup é de uma empresa jovem que nasce em torno de uma ideia inovadora, com um modelo de negócio repetível e escalável e em condições de extrema incerteza.

“A gente considera que a Web Summit é uma plataforma relevante de apresentação e conexão com os agentes do ecossistema. É um evento no qual tem pessoas do mundo inteiro. Então estar aqui é muito importante para mostrarmos o que temos de melhor, para fazermos essas conexões, conversar com as pessoas e com os investidores, e a partir daí conseguir que as startups brasileiras se internacionalizem, ganhem o mundo”, afirmou a gerente de competitividade da ApexBrasil.

Importante destacar que, de acordo com o Índice Global de Inovação (IGI) em 2021 – realizado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) e que mede o desempenho dos ecossistemas da inovação de economias mundiais e identifica tendências neste segmento, o Brasil ocupa o 54º lugar de 132 países. Em 2019, o cenário era pior: 66º. Em 2020 estava em 62°. Já no contexto de 18 economias da América Latina e Caribe, o Brasil está na 4ª colocação atrás de Chile (1°), México (2°) e Costa Rica (3°).

“A gente vê que nos últimos 10 anos o Brasil teve um salto gigantesco. Passamos de cerca de 200 startups para 22 mil. Já temos 30 unicórnios. O número de fundos de investimento que estão atuando no mercado também vem crescendo. Eram cinco 10 anos atrás e hoje são 200. Isso só o que a gente tem conhecimento. Teve uma evolução muito grande do ecossistema inteiro brasileiro, até por isso a gente aumentou nossa presença aqui na Web Summit”, contou Clarissa Furtado.

Ela também comentou o fato de gigantes como Siemens e IBM atuarem com ecossistemas de parcerias com startups: “As grandes corporações não conseguem produzir o tanto de inovação e tecnologia que elas precisam. O investimento seria muito alto e muito trabalhoso. As startups vêm justamente para trazer as soluções mais ágeis, mais rápidas, e essas grandes corporações estão criando fundos de investimento para investir nessas startups. Estamos vendo um aumento tanto no número de fundos como no valor que elas investem. É um mercado que cresce muito”.

Confira a lista da delegação brasileira na Web Summit 2022:

  • 3 WINGS (Recife/PE)
  • AHGORA (Florianópolis/SC)
  • AI ROBOTS (Belo Horizonte/MG)
  • ALANA.AI (São Paulo/SP)
  • APPEGADA (Londrina/PR)
  • ARVORAH (Brasília/F)
  • AWARE LOGISTICS (Campinas
  • AYO (Lagarto/SE)
  • BREVENLAW (Curitiba/PR)
  • COSSENO (Brasilia/DF)
  • CYBERPHYSICS COMPANY (São Paulo/SP)
  • DAYA (São Luis/MA)
  • DIGITRA.COM (Florianópolis/SC)
  • DRONES SOLUTION (Salvador/BA)
  • DSHBIRD (São Paulo/SP)
  • ETIQUETA CERTA (São Paulo/SP)
  • EVERLOG (Anápolis/GO)
  • FACEPONTO (Natal/RN)
  • FAIRY CODE TECNOLOGIA LTDA (Ribeirão Preto/SP)
  • FOTOP (São Paulo/SP)
  • GIRO.TECH (Curitiba/PR)
  • GROWINCO (Curitiba/PR)
  • HISOFI LTDA (São Paulo/SP)
  • IBOLTT (Recife/PE)
  • INOVAED (Goiânia/GO)
  • INPATICS CONSULTORIA URBANA (Lauro de Freitas/BA)
  • JADE AUTISM (Belo Horizonte/MG)
  • KNOWCODE (São Paulo/SP)
  • LIBERFLY (Vitória/ES)
  • LIBRI (Campinas/SP)
  • LOOPAR (São José dos Campos/SP)
  • MAE – MOSTRA DE ARTES DO ESPETÁCULO, LTDA (Aracaju/SE)
  • MEDASSIST (Vitória/ES)
  • MYNDWARE (Juiz de fora/MG)
  • NYCER – PAYMENTS AND SERVICES (Londrina/PR)
  • ONEDOOR (São Paulo/SP)
  • OUVIDOR DIGITAL – WHISTLEON (Belo Horizonte/MG)
  • PAYER (Porto Alegre/RS)
  • PREDIFY (São Carlos/SP)
  • RASTRA (São Paulo/SP)
  • TELETANQUE (Salvador/BA)
  • THINKBOX (João Pessoa/PB)
  • TRYEDU (Goiânia/GO)
  • UBITS CAPITAL (Indaiatuba/SP)
  • VEGGI (Blumenau/SC)
  • VENDOOR (Goiânia/GO)
  • WHYWASTE (Rio de Janeiro/RJ)
  • WORKHUB DIGITAL (São Paulo/SP)
  • WORKONECT (Fortaleza/CE)
  • XPERIENCE TECNOLOGIA E SERVICOS DIGITAIS LTDA (São Paulo/SP)
  • YAZO (Londrina/PR)

“Na Ai Robots trabalhamos com soluções tecnológicas como inteligência artificial, visão computacional, termografia para mitigar riscos de acidentes, gerar maior eficiência e contribuir com as jornadas ESG e SDG de nossos parceiros e clientes”, explicou o representante da empresa mineira presente na Web Summit.

“A Yazo é uma startup que oferece soluções para uma das maiores dores do mercado de eventos, que é a dificuldade de engajar o público. Através do conceito de gamificação com foco na usabilidade, os participantes têm uma experiência única. Os patrocinadores podem se relacionar, coletar dados e leads com muito mais eficiência e os organizadores obtêm indicadores que nunca tiveram. O produto é uma plataforma web e mobile, com calendário, mapa, linha do tempo, networking, gamificação, streaming, conteúdo sob demanda, recomendações, chat, envio de perguntas, quizzes, coletor de leads, ambientes 2D e 3D. Participamos dos maiores eventos de inovação e tecnologia do Brasil. Recentemente adquirimos nosso maior concorrente, a mobLee, startup de eventos que está no mercado desde 2012”, detalhou a startup de Londrina.

Além da ApexBrasil, a presença brasileira na Web Summit 2022 foi organizada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE) e pela Embaixada do Brasil em Lisboa, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e com a Softex. A iniciativa insere-se no âmbito do Programa de Diplomacia da Inovação (PDI), conduzido pelo MRE. O desenvolvimento do pavilhão do Brasil no evento contou, ainda, com a parceria de outras instituições: Instituto Algar, Trakto, Instituto Cesar, EMBRAER, Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (ADECE,) Itaú e Cubo.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2022/11/04/pro/brasil-bate-recorde-de-startups-participantes-na-web-summit-2022/