out 09

Banco Central autoriza aumento do capital do Nubank em R$ 189 milhões

O Banco Central (BC) anunciou a aprovação de um aumento de capital do Nubank, líder do segmento dos bancos digitais. O aumento será de R$ 189,23 milhões, fazendo com que o capital social da companhia passe a R$ 1,55 bilhão.

Segundo o Nubank, o aumento do capital está associado à rodada de investimentos ocorrida em junho. Na época, o unicórnio brasileiro recebeu o aporte de US$ 400 milhões. O fundo americano TCV liderou o investimento. Além disso, a instituição monetária central do País também autorizou o aumento de capital em R$ 100 milhões do C6 Bank, concorrente do Nubank. O Banco Clássico também elevou seu capital social em R$ 265,91 milhões, chegando a R$ 3,56 bilhões.

Nubank terá a concorrência de banco digital europeu

A maior fintech da Europa, a alemã N26, atuante em 24 países da zona do euro, será a nova concorrente da Nubank no Brasil. Fundada em 2013, assim como o unicórnio brasileiro, a startup europeia já está preparando a sua chegada ao Brasil.

A concorrência a ser enfrentada pelo N26, segundo Eduardo Prota, diretor geral da operação do N26 no Brasil, pode ser um estímulo, e não uma desvantagem para a startup europeia. Uma das razões para o Brasil ter sido escolhido como próximo país a receber o banco digital é pelo motivo de já ter se acostumado com o tipo de serviço virtual oferecido.

Ademais, a companhia acredita ter encontrado no Brasil os mesmos entraves que impulsionam seu sucesso na Europa, “como os custos abusivos, a falta de transparência e uma experiência que deixa muito a desejar no sistema bancário tradicional”, afirmou o executivo.

Parceria com Smiles é concretizada

O Nubank anunciou no dia 30 de setembro uma nova plataforma de milhas em parceira com a empresa Smiles (SMLS3). O novo benefício fomenta ainda mais a concorrência entre os bancos tradicionais e as fintechs por oferecerem melhores serviços e captarem mais usuários. Constará no aplicativo do Nubank uma plataforma de milhas aéreas da Gol (GOLL4) que permitirá aos clientes transferência imediata dos pontos.

Os bancos tradicionais costumam exigir um tempo mínimo de 48 horas. O Itaú (ITUB3; ITUB4), por exemplo, exige um acúmulo mínimo de 10.000 pontos para que realizarem a transferência. Os bancos digitais como, Inter (BIDI11), Nubank, C6 Bank e Next, tem reestruturado o mercado financeiro na disputa por oferecer serviços inovadores com o objetivo de angariar mais clientes.

FONTE: SUNO