Após captar R$ 60 milhões, Arado adquire startup Nutriens e mira mercado de produtos orgânicos

A aquisição é o primeiro passo da startup mineira em orgânicos e marca a entrada no varejo físico.

Henrique Castan e Victor Bernardino: a transação foi acordado com troca de ações e capital financeiro (Arado/Divulgação)

A mineira Arado está anunciando a compra da paulista Nutriens, criada em 2017 com um serviço de assinatura semanal de frutas e verduras orgânicas. A startup de Belo Horizonte entrou no mercado em 2021 com a proposta de facilitar a relação entre pequenos e médios produtores rurais com restaurantes e varejistas a partir de uma plataforma que facilita a relação de compra e venda.

A aquisição representa o primeiro passo da Arado no mercado de alimentos orgânicos, em alta nos últimos anos. Entre 2020 e 2022, o setor cresceu 30% e é estimado em R$ 7 bilhões. Segundo a Associação de Promoção dos Orgânicos, o Brasil tem mais de 25.000 unidades produtivas de orgânicos, um grupo majoritariamente formado por pequenos agricultores familiares.

“O perfil dos produtores é bem diferente, além do modelo de negócios para operar. Pela maior disponibilidade de produtores de convencionais, optamos primeiro por esse segmento. Hoje já somos grandes o suficiente para operarmos as duas frentes sem grandes problemas”, afirma Victor Bernardino, CEO e cofundador da Arado. Atualmente, a startup tem cerca de 500 produtores rurais em sua base de negócios.

Como funcionou a operação

Com a transação, a Arado vai se beneficiar de uma rede estruturada que conta com mais 400 produtores orgânicos e ainda de uma cartela com cerca de 200 clientes varejistas, o principal destino dos alimentos ofertados pela plataforma de negócios da Nutriens.

O acordo envolveu dinheiro e a troca de ações, mas os valores não foram revelados. Henrique Castan, fundador da Nutriens, continuará na operação e será o líder da unidade de orgânicos. Segundo a Arado, boa parte do time de 25 deve permanecer no negócio. Neste primeiro momento, a proposta é de manter as duas marcas ativas até uma eventual dissolução da Nutriens.

Essa é a segunda aquisição na história da Arado –  a primeira foi a Pin.go, startup especializada em delivery de hortifruti para restaurantes, que marcou o início da operação da startup em São Paulo.

A movimentação ocorre meses após a Arado ter captado 60 milhões de reais, em rodada liderada pela Acre Venture Partners, fundo que investe em negócios tecnológicos voltados para agricultura e clima. O investimento contou com a participação da Syngenta Group Ventures e Globo Ventures, além do acompanhamento pelo SP Ventures, Valor Capital e Maya Capital – os últimos dois lideraram o aporte anterior.

Quais os próximos passos do negócio

Além do mercado de orgânicos, a compra da Nutriens posiciona a Arado para atuar em uma outra frente, o varejo supermercadista. Hoje, o negócio da startup está concentrado nos mais de 5.000 restaurantes distribuídos nas quatro cidades em que atua: São Paulo, Belo Horizonte, Campinas e Rio de Janeiro. 

Ao longos dos próximos meses, a startup deve mesclar estratégias para ampliar e diversificar as fontes de receita. Para os restaurantes parceiros, apresentar o novo cardápio de alimentos orgânicos que podem colocar à mesa; e, ao varejo que compra orgânicos, levar o portfólio de frutas, legumes e verduras convencionais.

“Quando nós falamos para o mercado que estamos entrando no varejo e que temos oferta de orgânicos, nós também estamos entrando para multiplicar dentro deste setor. Vamos, de fato, colocar isso na centralidade da nossa estratégia neste próximo ano”, diz Bernardino.

Neste ano, a expectativa da startup é de crescer três vezes o resultado do ano passado. A startup não abre os números do faturamento.

FONTE:

https://exame.com/negocios/apos-captar-r-60-milhoes-arado-adquire-startup-nutriens-e-mira-mercado-de-produtos-organicos/