out 23

Aparelho portátil faz “raio-x” da lavoura em menos de 1 minuto

Agtech brasileira fez o equipamento que pesa 300 gramas e usa infravermelho para dezenas de tipos de análises

Aparelho pesa cerca de 300 gramas com de 8 cm de largura, 16 cm de comprimento e 5 cm de altura. (foto – Grandeo)

agtech brasileira Grandeo desenvolveu um aparelho portátil que usa um tipo específico de infravermelho (NIR ou Near Infrared, do inglês) para avaliar de maneira instantânea diversos indicadores em todas as fases de um cultivo.

A tecnologia já existe há cerca de 20 anos no Brasil, mas era focada principalmente em aplicações nas indústrias farmacêutica e alimentícia, principalmente em grandes empresas.

Na agricultura, o NIR pode ser usado para quantificar a presença de fertilizantes no solo (como o nitrogênio), a ATR da cana de açúcar e, até mesmo, fazer uma classificação de grãos de acordo com sua qualidade, entre outras. Tudo isso em menos de um minuto.

“Acompanhando a evolução da miniaturização de alguns componentes, percebi há cerca de dois anos que seria possível desenvolvermos um equipamento nacional que atendesse uma demanda crescente por informação vinda direto do campo”, diz Luciano Paitch, CEO da Grandeo.

As aplicações são variadas e já foram testadas em soja, milho e cana de açúcar, bem como em outras culturas como frutas como café e manga, ou ainda em silagem e rações para animais.

Aparelho

O equipamento portátil lembra uma máquina de cartão de crédito e, na versão atual, pesa cerca de 300 gramas com de 8cm de largura, 16cm de comprimento e 5 cm de altura aproximadamente.

Ele é conectado ao celular por sinal de bluetooth ou de wi-fi para compartilhar as informações com um aplicativo que gerencia o funcionamento do equipamento e armazena os dados das análises com os locais exatos via GPS.

“Não depende de conexão com a internet. A ideia é que possa justamente ser utilizado em regiões sem ou com péssimo sinal de cobertura de telefonia móvel. E quando o celular tiver conexão com a internet disponível, os dados podem ser sincronizados com um servidor na nuvem”, explica.

Análises

De modo simplificado, a NIR faz uma análise rápida e não destrutiva a partir do nível de vibração da ligação química das moléculas da amostra. Isto é, a energia projetada sobre a amostra identifica o tipo de ligação química, quantidade e tipo de “elementos” da amostra.

“Se analisarmos a soja, podemos quantificar o teor de umidade e proteína do grão ou do farelo de soja, bem como o teor de gordura, matéria mineral e outras. O equipamento pode ser calibrado para diversos outros indicadores ou culturas. Todos os dados são interpretados por sistemas robustos de software”, acrescenta.

Outra aplicação é a classificação de um produto. Ou seja, é possível saber se uma semente pertence à determinada variedade, características de qualidade como a ATR da cana no campo, antes da colheita; ou mesmo, de frutas.

“A análise pode ser feita por amostragem, sem necessariamente ter que remover a fruta do pé, e o agricultor pode fazer quantas análises quiser. Assim como pode usar o mesmo equipamento para culturas diferentes. Ele já foi desenvolvido para isso, basta a pessoa que vai realizar a análise selecionar no aplicativo o que pretende analisar”, explica Luciano.

FONTE: https://agevolution.canalrural.com.br/aparelho-portatil-faz-raio-x-da-lavoura-em-menos-de-1-minuto/?fbclid=IwAR3OHbhXChXNXq18RgDNJV4VHWXhLW1KYOkFMYC8Ser6Kvx_AsEDdqHnZGI